Sistemas digitais poderão reunir histórico de consultas e exames médicos — Rádio Senado
Tecnologia

Sistemas digitais poderão reunir histórico de consultas e exames médicos

As informações de saúde dos brasileiros e o histórico de vacinações poderão ficar centralizados em plataformas digitais, como determinam dois projetos de lei. Um deles (PL 3814/2020), de autoria do senador Confúcio Moura (MDB-RO), cria uma central de dados para registrar o histórico de consultas e exames feitos pelo paciente da rede pública e privada, bem como os medicamentos utilizados. Já o projeto (PL 4998/2020) do senador Acir Gurgacz (PDT-RO) cria o cartão de vacinação digital. A ideia é centralizar todas as informações sobre vacinações das pessoas. Atualmente, a comprovação é afixada no cartão de vacinação, comumente extraviado. Acir Gurgacz disse que o cartão virtual vai ser importante no momento da imunização em massa contra a covid-19. Acompanhe a reportagem de Iara Farias Borges, da Rádio Senado.

29/10/2020, 19h21 - ATUALIZADO EM 29/10/2020, 19h24
Duração de áudio: 02:39
Foto: Edson Freitas/Secretaria de Saúde de Goiás saude.go.gov.br

Transcrição
LOC: DOIS PROJETOS CRIAM PLATAFORMAS DIGITAIS PARA CENTRALIZAR AS INFORMAÇÕES DE SAÚDE DOS BRASILEIROS. LOC: UM DELES VAI REUNIR DADOS DE CONSULTAS E EXAMES E O OUTRO PROPÕE A CRIAÇÃO DA CARTEIRA DE VACINAÇÃO DIGITAL. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. TÉC: De autoria do senador Confúcio Moura, do MDB de Rondônia, a proposta cria uma central informatizada com dados de todos os atendimentos de saúde nas redes pública e privada. Assim, ficará registrado o histórico de consultas e exames feitos pelo paciente, bem como os medicamentos utilizados. Ainda, pela proposta, é garantido o sigilo de dados pessoais do histórico de saúde da pessoa, que só poderão ser acessados pelos profissionais diretamente envolvidos no atendimento e mediante autorização do paciente. O senador Confúcio defende a entrada definitiva do sistema de saúde brasileiro na era digital. (Confúcio Moura): “É um projeto avançadíssimo, é a digitalização de todos os documentos, de todos os estoques de medicamentos, de todos os exames laboratoriais, todos os dados, a parte administrativa das unidades básicas de saúde e hospitais, tudo integrado numa plataforma única. Isso é realmente necessário que seja feito o mais rapidamente possível. Hoje com esse mundo da robótica, da tecnologia da informação, isso gerará uma economia muito grande aos cofres públicos, além da presteza das informações, e que a pessoa pode puxar resultados, receitas em casa, no celular ou no computador comum”. (Rep): E outra proposta, do senador Acir Gurgacz, do PDT de Rondônia, cria a carteira de vacinação digital, na qual ficará registrado o histórico de vacinações feitas em serviços de saúde públicos e privados. Atualmente, quando a pessoa se vacina, o atestado é afixado no cartão de vacinação, que pode ser extraviado, com a perda de todas as informações. Para o senador Acir, esse sistema é obsoleto, uma vez que a tecnologia já permite a manutenção do histórico de vacinação numa plataforma eletrônica. Criado em 1975 e considerado referência de vacinação de grandes populações, o Programa Nacional de Imunização foi decisivo para erradicar doenças no país, como poliomielite e sarampo. O senador Acir lamenta que algumas doenças já erradicadas, como o sarampo, voltaram a se alastrar pelo território nacional. Na avaliação dele, o cartão digital de vacinação é importante, especialmente no momento em que haverá imunização em massa contra a covid-19. Pelas propostas, as plataformas serão mantidas pelo SUS, Sistema Único de Saúde. Da Rádio Senado, Iara Farias Borges.

Ao vivo
00:0000:00