Senadores cobram votação da Câmara de proposta que suspende pagamento de consignados — Rádio Senado
Pandemia

Senadores cobram votação da Câmara de proposta que suspende pagamento de consignados

Um grupo de senadores voltou a cobrar da Câmara dos Deputados a votação do projeto que suspende o pagamento do crédito consignado durante a pandemia. Aprovada em 18 de junho pelo Plenário do Senado, a proposta do senador Otto Alencar (PSD-BA) adia para o final do contrato a quitação dessas parcelas sem a cobrança de juros e a inscrição do nome do cliente em cadastros de inadimplentes. As informações são da repórter Hérica Christian, da Rádio Senado.

28/08/2020, 20h09 - ATUALIZADO EM 28/08/2020, 20h09
Duração de áudio: 02:40
Foto: Stockphotos / Direitos Reservados

Transcrição
LOC: SENADORES FAZEM UM APELO PARA QUE A CÂMARA DOS DEPUTADOS VOTE LOGO O PROJETO QUE SUSPENDE O PAGAMENTO DO CONSIGNADO. LOC: PARLAMENTARES ALERTAM QUE ALGUNS BANCOS JÁ ESTÃO ADIANDO A QUITAÇÃO APENAS PARA OS NOVOS CONTRATOS. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN. TÉC: Aprovado no dia 18 de junho, o projeto do senador Otto Alencar, do PSD da Bahia, suspende durante a pandemia o pagamento do crédito consignado de aposentados, pensionistas, servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada. Pela proposta, as prestações adiadas serão convertidas em parcelas extras com vencimentos subsequentes à quitação da última. Nesse caso, sem a cobrança de juros, multa, taxas, honorários advocatícios, sem a inscrição em cadastros de inadimplentes ou busca e apreensão de veículos financiados. Pelo projeto, o empregado demitido até 31 de dezembro terá direito à transferência do saldo devedor do empréstimo consignado para um contrato de empréstimo pessoal com as mesmas condições de prazo e juros do contrato anterior e com uma carência de 120 dias. A proposta também estende essas condições para os novos contratos, mas libera a cobrança de encargos remuneratórios, como juros, pelo período da suspensão. Ao fazer um apelo pela votação do projeto, o senador Esperidião Amin, do PP de Santa Catarina, ponderou que não haverá prejuízos para os bancos. (Amin) Nós todos estamos unidos para pedir ao presidente da Câmara que coloque em votação o PL 1328. Os bancos já estão oferecendo esses quatro meses para novas operações. Então, não faz sentido, é inexplicável a retenção pela Mesa da Câmara dos Deputados deste projeto. Coloque em votação! Ajude a que este dinheiro circule sem qualquer prejuízo para o sistema financeiro. Isso pode e deve ser feito. REP: O senador Marcos Rogério, do Democratas de Rondônia, apontou uma contradição dos próprios bancos. Ele lembrou que muitas instituições financeiras já estão oferecendo a suspensão do pagamento na assinatura de novos contratos. (Marcos) É muito contraditório os bancos oferecerem vantagens para servidores captarem recursos do consignado com suspensão de cobrança por até 90 dias a partir dessa circunstância de pandemia. Mas não aplicar o mesmo critério aos que já contraíram empréstimos consignados. REP: Na Câmara, foram apresentados 7 requerimentos relacionados ao projeto da suspensão do consignado durante a pandemia. Dois pedidos de urgência para votação imediata da proposta, dois de inclusão na pauta da Ordem do Dia e três de tramitação conjunta com iniciativas de autoria de deputados. Da Rádio Senado, Hérica Christian.

Ao vivo
00:0000:00