Levantamento revela apoio a pensão para familiares de vítimas da covid-19 — Rádio Senado
Pesquisa

Levantamento revela apoio a pensão para familiares de vítimas da covid-19

Uma enquete no site do Instituto DataSenado revelou que 60% dos internautas apoiam que o Estado garanta pensão vitalícia para familiares de profissionais de saúde e funcionários de hospitais mortos pela covid-19. O autor do projeto, senador Weverton (PDT-MA), acredita que a medida é uma forma de reconhecimento da sociedade pelo trabalho prestado. O valor da pensão dependerá do tempo de contribuição do beneficiário ao INSS, mas não serão exigidos tempo mínimo de 18 meses de contribuição nem comprovação de dois anos de casamento ou união estável.  A reportagem é de Marcella Cunha.

26/08/2020, 13h36 - ATUALIZADO EM 27/08/2020, 14h31
Duração de áudio: 02:15
Foto: Stockphotos/direitos reservados

Transcrição
LOC: A MAIORIA DOS INTERNAUTAS APOIA PENSÃO VITALÍCIA PARA CÔNJUNGES DE TRABALHADORES DA SAÚDE MORTOS PELA COVID-19. LOC: UMA ENQUETE DO DATASENADO REVELOU QUE PARA 65% DOS PARTICIPANTES A PROPOSTA DO SENADOR WEVERTON VALORIZA OS PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS NO ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA TÉC: Uma enquete do Instituto DataSenado mostrou que 60% dos internautas é favorável ao recebimento de pensão vitalícia por cônjuge ou companheiro de profissionais de saúde que morrerem por complicações da covid-19. A proposta é do senador Weverton, do PDT do Maranhão, e inclui médicos, enfermeiros, vigilantes de hospitais, além da equipe de segurança, limpeza, recepção, alimentação e outros. Sessenta e cinco por cento dos participantes acredita que a medida valoriza os profissionais envolvidos no combate à pandemia e 59% afirmou que os familiares vão se sentir mais seguros. Para o senador Weverton, conceder a pensão é uma forma de justiça social. (Weverton) Os profissionais da saúde ou os envolvidos na guerra contra a pandemia tiveram expostos e eles merecem o reconhecimento do estado brasileiro, eles merecem o reconhecimento da sociedade. E claro, os soldados que perderam a vida merecem serem reconhecidos na prática com pensão vitalícia para seus entes. (REP) Segundo o Conselho Federal de Enfermagem, o Brasil é o país onde mais morrem enfermeiros no mundo devido à epidemia, como lembrou o senador Weverton. (Weverton) Muitos deixaram suas famílias, suas mulheres, crianças, deixaram famílias desamparadas. 226 já morrem vítimas dessa pandemia. São 258 mil profissionais que já foram infectados. E esse projeto visa justamente atendê-los e fazer com que a nação brasileira possa dizer obrigado. (REP) O valor mensal da pensão vai depender do tempo de contribuição do funcionário, mas o projeto flexibiliza as regras previdenciárias para todos os envolvidos no atendimento hospitalar. Ele retira as limitantes de tempo de casamento ou união estável e do tempo de contribuição desses contribuintes. Desde 2015, para receber a pensão por morte é preciso comprovar 2 anos de casamento ou união estável com o segurado e tempo mínimo de 18 meses de contribuição. Da Rádio Senado, Marcella Cunha

Ao vivo
00:0000:00