Pazuello confirma que faltaram medicamentos para o enfrentamento da covid-19 — Rádio Senado
Coronavírus

Pazuello confirma que faltaram medicamentos para o enfrentamento da covid-19

O ministro interino da saúde, Eduardo Pazuello, confirmou à comissão que fiscaliza as ações do governo de enfrentamento à covid-19 que faltaram medicamentos do chamado kit intubação em alguns estados. O autor do requerimento para realização da audiência, senador Esperidião Amim (PP-SC), defendeu a unificação da compra de todos os itens relacionados à covid-19. Pazuello também não descartou a possibilidade de compra da vacina russa, embora considere a imunização da Universidade de Oxford a melhor opção. A reportagem é de Marcella Cunha, da Rádio Senado.

13/08/2020, 13h31 - ATUALIZADO EM 13/08/2020, 16h02
Duração de áudio: 02:29
Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Transcrição
LOC: O MINISTRO DA SAÚDE, EDUARDO PAZUELLO, CONFIRMOU QUE FALTARAM MEDICAMENTOS PARA O ENFRENTAMENTO DA COVID-19 EM ALGUNS ESTADOS. LOC: EM REUNIÃO COM A COMISSÃO QUE ACOMPANHA AS AÇÕES DO GOVERNO, ELE NÃO DESCARTOU A COMPRA DA VACINA RUSSA, MAS DEFENDEU A OPÇÃO INGLESA COMO A MELHOR PARA O BRASIL. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA (Repórter) O ministro interino da saúde, Eduardo Pazuello, falou sobre a logística de distribuição de testes e medicamentos contra a covid-19. Segundo Pazuello, foram distribuídos 3 milhões e 400 mil sedativos e relaxantes musculares necessários para a intubação de pacientes. Além de acordos internacionais, algumas instituições privadas cederam medicamentos que foram redistribuídos para estados e municípios. O Ministério da Saúde também realizou na última quarta-feira um pregão eletrônico para adquirir mais unidades do kit intubação. As medidas, no entanto, não foram suficientes para manter o estoque em alguns estados, como confirmou Pazuello. (Eduardo Pazuello) Em momento algum eu vou dizer ao senhor que não faltou medicamento neste ou naquele município ou naquele hospital. Sim, houve faltas. E no momento que as faltas chegaram para nós fizemos o que podia ser feito e o que não podia ser feito para apoiar. (Repórter) O pedido da audiência foi feito pelo senador Esperidião Amim, do PP de Santa Catarina, um dos estados com escassez de sedativos. Amim defende que o Ministério da Saúde amplie a compra unificada para todos os medicamentos relacionados à covid-19. (Esperidião Amim) Deixar para o município comprar, para o estado comprar os medicamentos que são praticamente os mesmos, é uma perda de tempo. Tudo que ministério puder fazer para centralizar o processo de compra será bom, o preço será menor e a logística estará pacificada ou pelo menos terá problemas reduzidos. (Repórter) Sobre a vacina, Pazuello afirmou que a melhor opção para o Brasil é a da Universidade de Oxford, mas não descartou a possibilidade de compra da vacina russa, caso ela se comprove eficaz. (Eduardo Pazuello) Sim, nós estamos atentos à vacina russa. E caso essa prospecção seja positiva nós devemos também participar. É uma orientação e diretriz minha que todas as vacinas se torne uma prospecção positivo, devemos estar acompanhando, parceiros e como opção de compra. (Repórter) Segundo Pazuello, já foram realizados, nas redes pública e privada, 9 milhões e trezentos mil testes que detectam o coronavírus. O Governo pretende chegar a 46 milhões de testes para atender a 22% da população brasileira. Da Rádio Senado, Marcella Cunha

Ao vivo
00:0000:00