Comissão Senado do Futuro debate uso de energias renováveis no planejamento das cidades — Rádio Senado
Audiência pública

Comissão Senado do Futuro debate uso de energias renováveis no planejamento das cidades

O Estatuto das Cidades, que é a lei que traz as diretrizes das ocupações urbanas, deve ser modificado para tratar da energia. A proposta é do tecnologista da Agência Espacial Brasileira, Cristiano Trein. Ele foi um dos debatedores reunidos pela Comissão Senado do Futuro nesta segunda-feira para discutir as energias renováveis. Explicou que com o crescimento populacional a demanda por energia ficará maior, bem como os impactos sobre o meio ambiente. Para ele, as cidades devem, o quanto antes, se preparar para isso.

12/03/2018, 21h12 - ATUALIZADO EM 12/03/2018, 21h13
Duração de áudio: 01:51
Comissão Senado do Futuro (CSF) realiza ciclo de debates: "2022: O Brasil que Queremos". Tema: Energias renováveis. 

Mesa (E/D): 
professor da Universidade de São Paulo (USP), José Roberto Simões Moreira; 
tecnologista da Agência Espacial Brasileira, Cristiano Trein; 
presidente da CSF, senador Hélio José (Pros-DF); 
presidente da União Planetária, Ulisses Riedel; 
coordenador-geral de fontes alternativas do Ministério de Minas e Energia (MME), Lívio Teixeira de Andrade Filho; 
professor da Universidade de Brasília (UnB), Rafael Shayani. 

Foto: Roque de Sá/Agência Senado
Roque de Sá/Agência Senado

Transcrição
LOC: O PLANEJAMENTO DAS CIDADES DEVE LEVAR EM CONTA A PRODUÇÃO DE ENERGIA RENOVÁVEL. A IDEIA FOI DEBATIDA NO CICLO DE DEBATES “2022: O BRASIL QUE QUEREMOS”, DA COMISSÃO SENADO DO FUTURO. LOC: O TEMA DESSA SEGUNDA-FEIRA FOI AS ENERGIAS RENOVÁVEIS. REPÓRTER LARISSA BORTONI. (Repórter) A população do planeta não para de crescer. Nos próximos vinte anos serão 18% a mais de pessoas no mundo. Mais gente significa mais demanda por energia e mais pressão sobre o meio ambiente. A situação no Brasil não é diferente. Nos próximos 12 anos seremos 223 milhões, com quase todo mundo vivendo em cidades. O que fazer para adaptar os municípios a esse crescimento populacional? Essa foi a provocação do tecnologista da Agência Espacial Brasileira, Cristiano Trein. Segundo ele, as questões de planejamento urbano precisam considerar o viés energético, com mudanças no Estatuto das Cidades, que é a lei que estabelece as regras da política urbana. (Cristiano Trein) As cidades estão ganhando importância significa que o planejamento urbano precisa observar essas matizes da questão da energia. Aí eu trago o Estatuto da Cidade. È necessário que se altere isso e inclua a energia como também uma ferramenta para garantia do desenvolvimento sustentável das cidades. Isso é da competência da União. (Repórter) O senador Hélio José, do Pros do Distrito Federal, ressaltou que o grande desafio em termos de energia é a produção renovável, como a que vem do sol e a que chega com o vento. (Hélio José,) Novas fontes energéticas que prometem ser mais baratas, não poluidoras e de fácil acesso, que serão realidade especialmente para quem investir nelas e souber investir em conhecimento, em pesquisa e em ciência. (Repórter) O ciclo de debates da Comissão Senado do Futuro é uma parceria entre o Senado, a Universidade de Brasilia e a ONG União Planetária. A próxima rodada de discussões será na quinta-feira sobre os direitos das pessoas com doença renal crônica, bem como das que fizeram transplante de rim.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00