CMA debate metodologia de cálculo do desemprego adotada pelo governo — Rádio Senado
Comissões

CMA debate metodologia de cálculo do desemprego adotada pelo governo

A metodologia de cálculo do desemprego adotada pelo governo foi tema do debate nesta quarta-feira (21) na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle. O senador Ataídes Oliveira (PSDB – TO), que pediu a audiência pública, questionou a eficiência da Pesquisa Mensal de Emprego, a PME. Para Ataídes, a PME não retrata a verdadeira situação do desemprego no país, que hoje atinge 8 milhões de brasileiros.

21/10/2015, 12h37 - ATUALIZADO EM 21/10/2015, 13h07
Duração de áudio: 02:10
Marcos Oliveira/Agência Senado

Transcrição
LOC: A METODOLOGIA DE CÁLCULO DO DESEMPREGO ADOTADA PELO GOVERNO FOI TEMA DO DEBATE NESTA QUARTA-FEIRA NA COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE, DEFESA DO CONSUMIDOR E FISCALIZAÇÃO E CONTROLE. LOC: O SENADOR ATAÍDES OLIVEIRA, DO PSDB DO TOCANTINS, QUE PEDIU A AUDIÊNCIA PÚBLICA, QUESTIONOU A EFICIÊNCIA DA PESQUISA MENSAL DE EMPREGO, A PME. REPÓRTER NARA FERREIRA: TEC: A taxa de desemprego divulgada pelo governo federal desde 2002 é baseada na Pesquisa Mensal de Emprego, PME, feita em seis regiões metropolitanas do país. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, anunciou recentemente que a PME será substituído pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, a Pnad contínua, com nova metodologia, mais abrangente, que retrate o cenário do emprego em 3 mil e 500 municípios de todo o País, incluindo áreas urbanas e rurais, e as 27 capitais. Cimar Azeredo Pereira, do IBGE, disse que a PME não era mais ampla por falta de recursos para a pesquisa. (CIMAR) Eu enquanto técnico do IBGE o que chegou para mim foi a dificuldade de ampliar a PME. Em 2006 montamos o grupo com a expectativa de criar a grande pesquisa Pnad contínua usando a marca forte da Pnad. O IBGE em momento algum traça a pesquisa mensal de emprego como taxa nacional, mas a taxa das seis áreas. A taxa nacional poderia usar a taxa da Pnad anual que é bem mais elevada do que a da PME. (REP) O senador Ataídes Oliveira, do PSDB do Tocantins, afirmou que a Pesquisa Mensal de Emprego não retrata a verdadeira situação do desemprego no país, que hoje atinge 8 milhões de brasileiros: (ATAÍDES) Como um país continental como o nosso, uma pesquisa de desemprego é feita em tão somente seis regiões metropolitanas? Hoje que o Brasil está devendo quatro trilhões de reais, estamos numa situação caótica, temos condições de ter essa pesquisa Pnad contínua que atinge 3 mil e 500 municípios? Não me convence esse argumento de que o PME está saindo por falta de recursos. (REP) Já Maria Emília Veras, do Ministério do Trabalho e Previdência Social, explicou que o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados engloba apenas o mercado de trabalho formal e os celetistas.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00