Paim defende capacitação de trabalhadores com mais de 45 anos — Rádio Senado

Paim defende capacitação de trabalhadores com mais de 45 anos

LOC: TRABALHADORES COM 45 ANOS OU MAIS PODERIAM TER MELHORES OPORTUNIDADES NO MERCADO SE TIVESSEM ACESSO A CURSOS PROFISSIONALIZANTES. 

LOC: FOI O QUE DEFENDEU NESTA TERÇA-FEIRA O SENADOR PAULO PAIM EM AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE A SITUAÇÃO DOS CHAMADOS "TRABALHADORES EXPERIENTES". A REPORTAGEM É DE ADRIANO FARIA: 

TÉC: O que fazer para abrir oportunidades no mercado para o trabalhador com mais de 45 anos? Esse foi o assunto de uma audiência pública promovida pela Subcomissão do Senado em Defesa do Emprego e da Previdência Social. Um dos convidados foi Jeferson Luiz Soares, do Grupo de Estudos dos Trabalhadores Experientes, que promove debates, principalmente na internet, sobre a situação no mercado para quem passou dos 45. Ele reconheceu o recente aumento das contratações na faixa dos 60 anos, mas chamou a atenção para os baixos salários. (SOARES) Aí a gente vai verificar: são naquelas posições de caixa de supermercado, porteiro, guardador, coisa assim, com salários bem baixos. Tão contratando gente, mas é realmente exploração da mão de obra barata. (REPÓRTER) Rodolfo Torelly, do Ministério do Trabalho, tem uma visão diferente sobre a remuneração dos empregados com mais de 60 anos. (TORELLY) Realmente muito tem se falado: "Ah, os empregos são de baixa qualidade..." Não é verdade. Nós temos que pesar várias coisas aí, inclusive o aumento real do salário mínimo. Há dez, 12 anos atrás, o sonho do Brasil era se chegar a um salário mínimo de 100 dólares; hoje esse salário mínimo é de 300 dólares. (REPÓRTER) Na opinião do presidente da subcomissão, senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul, a chave para ampliar as oportunidades dos trabalhadores experientes é investir em cursos profissionalizantes. (PAIM) Nós sabemos que principalmente aqueles trabalhadores que não fizeram um curso profissionalizante têm mais dificuldades para se colocar no mercado de trabalho. (REPÓRTER) Paulo Paim aproveitou o debate para criticar o fator previdenciário, uma equação que leva em conta o tempo de contribuição e a expectativa de vida para se calcular as aposentadorias do Regime Geral da Previdência. Ele disse que o fator previdenciário, ao contrário do que pensa o governo, incentiva o empregado a se aposentar mais cedo. Como o trabalhador sabe que o benefício previdenciário vai ser reduzido pelo fator, argumentou Paim, ele antecipa a aposentadoria e depois tenta outra vaga no mercado. Da Rádio Senado, Adriano Faria.
24/05/2011, 12h12 - ATUALIZADO EM 24/05/2011, 12h12
Duração de áudio: 02:11
Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00