Apenas 30% das armas de fogo em circulação no país são registradas — Rádio Senado

Apenas 30% das armas de fogo em circulação no país são registradas

LOC: DAS MAIS DE 17 MILHÕES DE ARMAS EM CIRCULAÇÃO NO BRASIL, APENAS 30 POR CENTO TÊM O REGISTRO ADEQUADO. 

LOC: AS INFORMAÇÕES FORAM DIVULGADAS PELA ONG VIVA RIO NA ÚLTIMA SEGUNDA-FEIRA. OS DETALHES NA REPORTAGEM DE ANA BEATRIZ SANTOS. 

TÉC: Mais da metade dos revólveres, pistolas e fuzis que circulam no Brasil são ilegais, pois não têm registro. A informação faz parte de uma pesquisa do instituto de altos estudos de Genebra em parceria com a ONG Viva Rio e com o instituto de estudos da religião, o Iser. O estudo faz uma análise da presença, origem e também das diferenças no uso das chamadas armas leves nos diferentes estados. O relatório aponta diferenças entre a natureza das armas usadas em cada região, mas afirma que em todos os estados o registro é inadequado. O senador Cesar Borges, do PR da Bahia, acredita que o Estatuto do Desarmamento, sancionado em dezembro de 2003, é rigoroso, mas que falta empenho das autoridades para cumprir o que a lei exige. (Cesar Borges) Se o Poder Executivo estivesse aplicando o estatuto na rigidez que ele esta escrito, principalmente para o porte de armas e depois desse a seqüência que seria a atuação, a batida policial, pra o desarmamento efetivo, porque quem usa a arma sem registro sem o seu devido porte é a criminalidade. E esse crime inclusive pelo estatuto é inafiançável (Ana) Outra informação divulgada pela pesquisa é de que a maioria das armas usadas pelos criminosos brasileiros é produzida no próprio País. O Estatuto do Desarmamento foi sancionado em dezembro de 2003. Em 2005, a população brasileira votou, em um referendo, a favor da manutenção da venda de armas de fogo no País.
19/10/2010, 01h00 - ATUALIZADO EM 19/10/2010, 01h00
Duração de áudio: 01:44
Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00