Diretriz

Mídias sociais

De acordo com suas características específicas, as áreas da Secom devem participar de redes sociais na internet com o objetivo de  ampliar o conhecimento da sociedade sobre o trabalho legislativo.

 

A atuação das áreas da Secom nas redes sociais deve ser planejada de forma integrada.

 

A atuação dos operadores das redes sociais deve seguir padrão definido no Guia de Atuação nas Redes Sociais e as determinações específicas para cada área da Secom.

 

As redes sociais devem ser usadas para:

  • divulgar os programas e reportagens produzidos pelos veículos da Secom;
  • publicar a cobertura jornalística das atividades legislativas e institucionais do Senado;
  • divulgar campanhas, programas e serviços institucionais do Senado;
  • estimular a participação do cidadão ao abrir canais de diálogo com a sociedade;
  • promover a imagem do Senado;
  • acompanhar a presença do Senado e dos temas legislativos nas redes sociais.

 

Antes de iniciar os trabalhos em qualquer rede social, cada setor deve planejar a estratégia de atuação. Devem ser estabelecidos os critérios para a efetivação da interatividade, como as formas de relacionamento com o interlocutor, os critérios para a frequência e o teor das respostas, o tratamento do conteúdo das mensagens e as rotinas de monitoramento.

 

Cada área da Secom deve definir estrategicamente em quais redes atuar.

 

Os coordenadores de perfis e os operadores de redes sociais devem manter-se vigilantes ao surgimento de novas plataformas a fim de garantir os domínios dos perfis das áreas e veículos da Secom, mesmo que os projetos de atuação ainda não estejam elaborados. É recomendável a criação de perfis para garantir os nomes de usuário, mesmo que não haja atuação naquela determinada rede.

 

Os perfis das diversas áreas buscarão a interatividade, seja reativamente, respondendo as mensagens direcionadas ao perfil, ou proativamente, por meio da identificação de menções ao Senado ou temas legislativos.

 

Cada área decidirá a medida de proatividade de acordo com as próprias características.

 

Antes de fazer qualquer abordagem, é preciso levar em conta o perfil da área da Secom à qual pertence o operador e o perfil de quem fez o comentário.

 

Quando for identificada informação incorreta sobre o Senado nas redes sociais, o perfil relacionado deve intervir, fornecendo informações oficiais e seguras sobre o assunto.

 

O compartilhamento de postagens de outros perfis é permitido e pode ser utilizado como estratégia de comunicação de acordo com o planejamento do perfil. O conteúdo a ser compartilhado deve relacionar-se ao conteúdo do perfil.

 

A Secom deve tornar claras as políticas de atuação na internet e nas redes sociais. Cada área deve manter documento que estabeleça a política de uso e publicá-lo nas páginas das redes sociais. A política de uso deve considerar as especificidades de cada área em consonância com as diretrizes gerais estabelecidas neste manual.

 

A resposta aos leitores deve ser, preferencialmente, na forma escolhida por quem enviou a mensagem, pública ou privada.

 

As áreas da Secom devem adotar banco único de respostas frequentes, atualizado constantemente, a fim de facilitar e uniformizar o trabalho, além de evitar erros.

 

Não há limitação máxima de publicações diárias, mas é recomendável que, nos perfis dos veículos jornalísticos, haja pelo menos uma publicação nos dias úteis, mostrando que a conta está em atividade.

 

O encerramento de conta ou perfil deve ser comunicado ao público com antecedência. Deve-se também oferecer formas alternativas de contato.

 

Os coordenadores e os operadores de redes sociais devem receber treinamento e comprometer-se a cumprir e fazer cumprir as diretrizes definidas neste Manual de Comunicação da Secom, no de Atuação nas Redes Sociais e no planejamento elaborado para o perfil em que exercer suas atividades.

 

O planejamento do perfil deve prever os tipos de conteúdo a ser abordados ou evitados.

 

No planejamento de perfis para campanhas, programas e projetos, deve constar cronograma de ação com a discriminação do conteúdo em cada fase.

 

Para perfis com temas dinâmicos, como os meios de comunicação, é sugerida a organização de pauta diária a ser discutida entre coordenador e operadores.

 

Não é permitido publicar opiniões, juízos de valor, assuntos não relacionados ao perfil, ofensas e ameaças.

 

O conteúdo a ser postado deve estar de acordo com este Manual de Comunicação da Secom, em especial com os princípios e as demais diretrizes.

 

As redes sociais devem ser objeto de monitoração constante, embasada em métricas e análises quantitativas e qualitativas dos resultados e registrada em relatórios compartilhados entre as áreas.