Votações

Regulamentação da profissão de historiador está pronta para ser votada pelo Plenário

01:44Regulamentação da profissão de historiador está pronta para ser votada pelo Plenário

Transcrição LOC: O PLENÁRIO DO SENADO ESTÁ PRONTO PARA ANALISAR AS MUDANÇAS FEITAS PELA CÂMARA DOS DEPUTADOS AO PROJETO QUE REGULAMENTA A PROFISSÃO DE HISTORIADOR. LOC: A PROPOSTA PREVÊ A OBRIGATORIEDADE DE DIPLOMA NA ÁREA, SEJA EM CURSOS DE GRADUÇÃO, MESTRADO OU DOUTORADO, OU AINDA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL DE PELO MENOS CINCO ANOS. REPÓRTER MARCELLA CUNHA. TÉC: Para exercer a profissão de historiador será preciso ter curso superior em História, nacional ou estrangeiro com revalidação; ou diploma de mestrado ou doutorado em programas reconhecidos pela Capes com linha de pesquisa em História. Profissionais de outras áreas terão que comprovar o exercício da profissão há mais de cinco anos, após a promulgação da futura lei. Essas são as exigências do projeto que aguarda deliberação do plenário. O texto original, do senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul, sofreu modificações na Câmara dos Deputados, que foram acatadas pela relatora, a senadora Fátima Bezerra, do PT do Rio Grande do Norte. Entre as alterações, está a de que o exercício da profissão deixa de ser privativo dos historiadores, eliminando a possibilidade de reserva de mercado. Durante a discussão da proposta na Comissão de Assuntos Sociais, a senadora Vanessa Grazziotin, do PC do B do Amazonas, afirmou que a regulamentação vai contribuir para valorizar a profissão. (Vanessa) “É inegável que os historiadores não estão mais restritos em seu trabalhos em sala de aula são necessários e imprescindíveis em museus centros culturais, empresas de publicidade e turismo e são demandados com frequência na produção cinematográfica e nos meios de comunicação.” (REP) Estes profissionais poderão atuar como professores de História nos ensinos fundamental e médio, desde que cumprida a obrigatoriedade da licenciatura. Já o perfil dos docentes de instituições superiores continuará sendo definido pelas Universidades. Os historiadores também poderão prestar serviços de pesquisa histórica e de avaliação e seleção de documentos para fins de preservação. Da Rádio Senado, Marcella Cunha

O Substitutivo da Câmara dos Deputados  (SCD) 3/2015, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), que regulamenta a profissão de historiador, está pronto para ser votado pelo Plenário do Senado. A proposta foi aprovada pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) no dia 8 de julho de 2017, quando foi remetido ao Plenário para deliberação final. O substitutivo ao projeto original (PLS 368/2009) foi acatado pela relatora, senadora Fátima Bezerra (PT-RN). Segundo o projeto, poderá exercer a atividade de historiador quem tem diploma de curso superior em História, nacional ou estrangeiro com revalidação; diploma de mestrado ou doutorado em História; diploma de mestrado ou doutorado obtido em programa de pós-graduação reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) com linha de pesquisa dedicada à História; e os profissionais diplomados em outras áreas que tenham exercido, comprovadamente, há mais de cinco anos, a profissão de historiador, a contar da data da promulgação da lei. Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) a regulamentação vai contribuir para valorizar os historiadores.

TÓPICOS:
Câmara dos Deputados  Comissão de Assuntos Sociais  Comunicação  Empresas  História  Meios de Comunicação  Plenário do Senado  Professores  Senadora Fátima Bezerra  Senadora Vanessa Grazziotin  Senador Paulo Paim  Turismo 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo