Comissão aprova criação do Dia Nacional do Condutor de Ambulância — Rádio Senado
Educação

Comissão aprova criação do Dia Nacional do Condutor de Ambulância

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou nesta terça-feira (16) uma proposta (PLS 113/2017), que cria o Dia Nacional do Condutor de Ambulância, celebrado em 10 de outubro. A data já é comemorada em alguns municípios e estados, como Santa Catarina, Espírito Santo, Roraima, Manaus e Cuiabá. Segundo o relator da matéria, senador Paulo Paim (PT – RS), a iniciativa busca valorizar a categoria, que trabalha em condições insalubres para auxiliar as equipes médicas e salvar vidas. O projeto que deve ser analisado agora pelo Plenário do Senado.

16/10/2018, 13h46 - ATUALIZADO EM 16/10/2018, 15h01
Duração de áudio: 01:48
Edilson Rodrigues/Agência Senado

Transcrição
LOC: A COMISSÃO DE EDUCAÇÃO APROVOU NESTA TERÇA-FEIRA UMA PROPOSTA QUE CRIA O DIA NACIONAL DO CONDUTOR DE AMBULÂNCIA, CELEBRADO EM 10 DE OUTUBRO. LOC: O PROJETO QUE DEVE SER ANALISADO AGORA PELO PLENÁRIO DO SENADO BUSCA HOMENAGEAR A CATEGORIA, QUE TRABALHA PARA SALVAR VIDAS. REPÓRTER GEORGE CARDIM. (Repórter) O relatório do senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul, inclui no calendário oficial o Dia Nacional dos Condutor de Ambulância, celebrado em 10 de outubro. A data já é comemorada em alguns municípios e estados, como Santa Catarina, Espírito Santo, Roraima, Manaus e Cuiabá. Paulo Paim explicou que a iniciativa busca valorizar a categoria, que trabalha em condições insalubres para auxiliar as equipes médicas e salvar vidas. (Paulo Paim) “Para que possa exercer tal profissão, o motorista deve possuir curso específico de socorrista, além de ser habilitado para condução de veículo de emergência. Em meio ao trânsito caótico das cidades, o condutor de ambulância deve demonstrar perícia ímpar para chegar a tempo ao seu destino, cuidando para que o trajeto seja, ao mesmo tempo, breve e seguro. Arrisca-se, pois, cotidianamente, com o nobre intuito de salvar a vida das pessoas” (Repórter) O presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de São Paulo, Alex Douglas, confirmou que a jornada diária é estressante (Alex Douglas) “Dirigir em alta velocidade e, muitas vezes, tem que parar a ambulância e ajudar a equipe lá atrás. O condutor auxilia até nas massagens cardiorrespiratórias, o condutor pega no paciente. O condutor trabalha no barulho. É estresse, é trânsito, é problema psicológico, que é durante o dia a dia, trabalha neste sistema insalubre, não tem como fugir disso” (Repórter) Para virar lei, o projeto já aprovado pela Câmara dos Deputados deve ser analisado agora pelo Plenário do Senado.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00