Senado homenageia campanha 2012 que tem saúde pública como tema — Rádio Senado

Senado homenageia campanha 2012 que tem saúde pública como tema

LOC: DADOS APONTAM QUE NO BRASIL AS FAMÍLIAS E PLANOS PRIVADOS GASTAM MAIS COM SAÚDE QUE O GOVERNO. 

LOC: ESSE FOI UM DOS PROBLEMAS DA SAÚDE PÚBLICA DISCUTIDOS NO PLENÁRIO DO SENADO NESTA SEGUNDA-FEIRA, DURANTE HOMENAGEM À CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2012. REPÓRTER ROBERTO FRAGOSO. 

(REPÓRTÉR) Senadores parabenizaram a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, CNBB, pela escolha do tema "Fraternidade e Saúde Pública" para a campanha da fraternidade deste ano. O presidente do Senado, José Sarney, do PMDB do Amapá, que abriu a sessão especial, explicou os principais objetivos da campanha deste ano. 

(JOSÉ SARNEY) O objetivo primeiro é articular o tema saúde com a alimentação, a educação, o trabalho, a remuneração, a promoção da mulher, da criança, da ecologia e do meio ambiente. E o segundo é a preocupação com as ações de promoção da saúde e defesa da vida que respondem a necessidades imediatas das pessoas. No entanto, que estas ações contribuam para a construção de políticas públicas e de projetos de desenvolvimento nacional. 

(REPÓRTER) Ricardo Ferraço, senador do PMDB do Espírito Santo, que pediu a homenagem à CNBB, destacou que dados recentes apontam que são as famílias e os planos privados que bancam 56% dos gastos anuais com saúde no Brasil, enquanto o poder público gasta 44%. Ele defendeu o aumento dos investimentos públicos, principalmente por parte do governo federal. 

(RICARDO FERRAÇO) Esta é uma discussão que está longe de ter sido encerrada com regulamentação da emenda 29. Aliás, já se encontram neste casa outras propostas, inclusive uma de minha autoria, fixando um mínimo de 10% das receitas correntes brutas da União para gastos com saúde. Ou seja, dando à União o mesmo nível de responsabilidade que tem Estados e que tem municípios. 

(REPÓRTER) Já o senador Mozarildo Cavalcanti, do PTB de Roraima, que é médico, disse que seu diagnóstico sobre a saúde brasileira não é de falta de recursos. Segundo ele, a principal doença da saúde brasileira é a corrupção. 

(MOZARILDO CAVALCANTI) A corrupção é a maior doença do setor saúde. A má administração, o segundo. E o terceiro, com certeza, a falta de atenção da sociedade e do Congresso. E eu acho que precisamos de uma intervenção cirúrgica radical na questão da saúde no Brasil. 

(REPÓRTER) A Campanha da Fraternidade vai até a sexta-feira santa, que neste ano cai em 6 de abril.
19/03/2012, 01h40 - ATUALIZADO EM 19/03/2012, 01h40
Duração de áudio: 02:06
Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00