Boletim.leg - edição das 22h — Rádio Senado
Boletim.leg

Boletim.leg - edição das 22h

Congresso Nacional comemora nesta quinta-feira (8) os 200 anos da Independência do Brasil; Rodrigo Pacheco vai ao STF em busca de solução para piso salarial da enfermagem. 

06/09/2022, 22h00 - ATUALIZADO EM 06/09/2022, 20h13
Duração de áudio: 05:30

Transcrição
CONGRESSO NACIONAL COMEMORA NESTA QUINTA OS 200 ANOS DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL: A sessão solene do Congresso Nacional vai celebrar o bicentenário da independência do Brasil reunindo chefes de Estado do Brasil, de Portugal e de outras ex-colônias portuguesas. RODRIGO PACHECO VAI AO STF EM BUSCA DE SOLUÇÃO PARA PISO SALARIAL DA ENFERMAGEM ... EU SOU ______________________ E ESTE É O BOLETIM PONTO LEG O CONGRESSO NACIONAL VAI CELEBRAR OS 200 ANOS DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL EM SESSÃO SOLENE NESTA QUINTA-FEIRA, ÀS 10 HORAS DA MANHÃ. REPÓRTER IARA FARIAS BORGES: A sessão solene do Congresso Nacional vai celebrar o bicentenário da independência do Brasil reunindo chefes de Estado do Brasil, de Portugal e de outras ex-colônias portuguesas. Devem participar da cerimônia o presidente Jair Bolsonaro, ex-presidentes brasileiros e os presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo; Cabo Verde, José Maria Neves; e de Guiné Bissau, Umaro Sissoco. Eles serão recebidos pelos presidentes do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco, e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, na rampa do Palácio do Congresso Nacional, com tapete vermelho e guarda dos 48 dragões da independência. Para Pacheco, as comemorações do bicentenário da independência reafirmam o compromisso do Brasil com a liberdade. Há quase 200 anos nos tornamos um país livre, soberano, independente. É um momento único para relembrarmos nosso passado, nossa história, reconhecermos e identificarmos os nossos valores e reafirmarmos o nosso compromisso com a liberdade. Já o senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, que é historiador, disse que as comemorações devem propiciar uma reflexão sobre a realidade do país. O SENADO FEDERAL E O GRUPO BANDEIRANTES DE COMUNICAÇÃO ASSINARAM UM CONVÊNIO PARA A DIVULGAÇÃO DE PROGRAMAS CULTURAIS E JORNALÍSTICOS QUE ABORDEM FATOS HISTÓRICOS LIGADOS À INDEPENDÊNCIA DO BRASIL. A PARCERIA VAI PERMITIR A COOPERAÇÃO E A TROCA DE CONTEÚDOS SOBRE OS 200 ANOS DA INDEPENDÊNCIA ENTRE A BAND E A COMISSÃO ESPECIAL CURADORA DO BICENTENÁRIO DO SENADO FEDERAL. O SENADO APROVOU PEDIDOS DE EMPRÉSTIMOS INTERNACIONAIS PARA OS ESTADOS DO AMAZONAS, SERGIPE, PARÁ E PARANÁ. OS RECURSOS SERÃO INVESTIDOS EM MODERNIZAÇÃO DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA, SAÚDE, SANEAMENTO E REASSENTAMENTO DE FAMÍLIAS EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE. REPÓRTER BRUNO LOURENÇO: O estado do Amazonas vai receber do Bid, Banco Interamericano de Desenvolvimento, 80 milhões de dólares para aplicação em obras de saneamento e para realocação de famílias que vivem em áreas de risco na capital Manaus. O Pará conseguiu 100 milhões de dólares junto ao BID para projetos de água potável, esgoto e tratamento na área metropolitana da capital, como explicou o senador Jader Barbalho, do MDB do Pará. Aqui, o meu estado e a capital, com a Área Metropolitana, que inclui, além de Belém, os Municípios de Ananindeua e Marituba, padecem desse problema, desse grave problema de abastecimento, de entrega de água tratada para a nossa população. E os que conhecem de administração pública e de saneamento básico sabem que água tratada é sinônimo de saúde pública. O estado de Sergipe também teve financiamento do BID aprovado pelo Senado. Serão 27 milhões e novecentos mil dólares para modernizar a máquina administrativa. Já o Paraná recebeu a autorização para contratar junto ao Banco Mundial 130 milhões de dólares. Dois terços dos recursos deverão ir para a ampliação e qualificação da rede hospitalar estadual. O PRESIDENTE DO SENADO, RODRIGO PACHECO, ESTEVE COM O MINISTRO DO STF, LUIS ROBERTO BARROSO, EM BUSCA DE UMA SOLUÇÃO PARA O IMPASSE EM TORNO DO PAGAMENTO DO PISO SALARIAL PARA OS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE ENFERMAGEM. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN: Após reunião com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barros, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, anunciou encontros com a equipe econômica em busca de recursos para pagar o piso salarial da enfermagem após a suspensão da lei, que vigoraria neste mês. Segundo Pacheco, entre outras fontes estão a correção da tabela do SUS pelo governo federal, a desoneração da folha de pagamento do setor e a compensação da dívida dos Estados com a União. O que nós temos é a absoluta disposição com medidas legislativas de dar essa fonte de custeio necessária para ser correção da tabela do SUS tendo isso como principal instrumento para poder fazer a reparação do impacto financeiro do piso nacional da enfermagem, sobretudo, para estados e municípios e hospitais filantrópicos. Então, o envolvimento do Executivo necessariamente terá de acontecer e eu não tenho dúvida de que haverá por parte do Executivo essa mesma boa vontade que o Legislativo tem.   Segundo a lei, o piso será de R$ 4.750 para enfermeiros, de R$ 3.325 para técnicos e de R$ 2.375 para auxiliares e parteiras. Mas governadores, prefeitos e hospitais privados e filantrópicos alegam falta de dinheiro e ameaçam com demissões. OUTRAS NOTÍCIAS ESTÃO DISPONÍVEIS EM: SENADO.LEG.BR/RADIO.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00