Desastre

Rompimento da barragem em Mariana completa 4 anos

01:39Rompimento da barragem em Mariana completa 4 anos

Transcrição LOC: ROMPIMENTO DA BARRAGEM DE FUNDÃO, EM MARIANA, MINAS GERAIS, COMPLETA 4 ANOS. LOC: ALÉM DE 19 MORTOS, O DESASTRE AMBIENTAL ATINGIU MAIS DE 500 MORADORES DA REGIÃO. REPÓRTER RAQUEL TEIXEIRA. TÉC: Mariana, Minas Gerais. 5 de novembro de 2015. A estrutura de contenção de rejeitos da Barragem de Fundão se rompe espalhando 60 milhões de metros cúbicos de rejeitos de mineração por mais de 600 quilômetros de distância e contaminando o Rio Doce. Mais de 300 famílias desabrigadas e 19 mortos, entre funcionários da empresa Samarco e moradores da comunidade. Reportagem especial da Rádio Senado, em parceria com a Universidade Federal de Ouro Preto, na época do evento trouxe relatos de sobreviventes: (SOBREVIVENTES)Eu estava conversando com alguns colegas na praça quando a gente ouviu o barulho, vimos a poeira enorme de cima junto com a lama, máquina, caminhão, tudo descendo, a gente preocupou em subir gritando o pessoal que saísse porque a barragem estava estourando. Eu estava tomando banho, o banheiro começou a balançar comigo, tremendo, eu falei que isso meu Deus? Quando eu vi água já veio alta, aí eu saí correndo. Nunca esperava que isso fosse acontecer. Rep: A tragédia completou 4 anos e ninguém foi punido. Quem lembra é o senador Fabiano Contarato, da Rede Sustentabilidade do Espírito Santos. (CONTARATO) Meu estado, o Espírito Santo, foi diretamente atingido pelos rejeitos de minério que contaminam rios e a foz do Rio Doce. Os danos sociais, ambientais e econômicos são incalculáveis e os responsáveis seguem impunes, o único condenado são as famílias das vítimas que sofrem coma dor da perda e a certeza da impunidade. Rep: Até agora, 109 acordos de indenização foram fechados, num total de R$ 65 milhões de reais, mas os valores individuais são confidenciais. Da Rádio Senado, Raquel Teixeira.

Rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana (MG), completa 4 anos sem punição para os responsáveis pelo desastre, como destaca o senador Fabiano Contarato (Rede-ES). Com saldo de 19 mortos e prejuízos incalculáveis para mais de 300 famílias, os rejeitos de mineração da Empresa Samarco contaminaram o Rio Doce e se espalharam por 600 quilômetros de extensão. As informações com a repórter Raquel Teixeira, da Rádio Senado.

TÓPICOS:
Água  Espírito Santo  Minas Gerais  Mineração  Rede  Rede Sustentabilidade  Senador Fabiano Contarato  Sustentabilidade  Samarco  barragem  Mariana 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo