Audiência pública

Mike Pompeo não ameaçou a Venezuela, diz Ernesto Araújo na CRE

02:28Mike Pompeo não ameaçou a Venezuela, diz Ernesto Araújo na CRE

Transcrição LOC: O MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES, ERNESTO ARAÚJO, AFIRMOU QUE NÃO HOUVE AMEAÇA POR PARTE DE MIKE POMPEO EM RELAÇÃO À VENEZUELA EM SUA VISITA À BOA VISTA, CAPITAL DE RORAIMA. LOC: ARAÚJO DIZ QUE A CONFUSÃO SE DEU POR UMA MÁ TRADUÇÃO. O CHACELER PARTICIPOU DE AUDIÊNCIA DA COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES. MAIS INFORMAÇÕES COM O REPÓRTER RODRIGO RESENDE: (Repórter) O ministro das relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou que não houve por parte de Mike Pompeo, secretário de estado dos Estados Unidos, intimidação em relação a Nicolas Maduro, presidente da Venezuela. A declaração de Pompeo, que teria sido dada durante a sua passagem por Boa Vista, capital de Roraima, na verdade, foi fruto de uma má tradução, como explicou Ernesto Araújo: (Ernesto Araújo) Foi traduzido que ele haveria dito “o nosso mundo está consistente e a gente vai tirar essa pessoa e vai colocar no lugar certo” como se estivesse se referindo a Nicolas Maduro. Na verdade o que ele disse foi “a nossa vontade é consistente, coerente, o nosso trabalho será incansável, chegaremos ao lugar certo”. Isso no contexto de toda a entrevista fica claro que é dentro de uma perspectiva humanitária, uma perspectiva de defesa dos Direitos Humanos. (Repórter) Mas o Senador Telmário Mota, do PROS de Roraima, não ficou convencido com a explicação e disse que a visita teve caráter eleitoreiro, visando a disputa presidencial entre Donald Trump e Joe Biden: (Telmário Mota) Como é que ele fala uma coisa, o tradutor diz outra e ele deixa, só reage quando o povo reage, quando nós reagimos? Então com todo respeito à fala do ministro, toda ela eu classifico, como no meu estado diz: coisa para inglês ver. (Repórter) Ernesto afirmou ainda que não houve nenhum desrespeito à Constituição Brasileira, principalmente o artigo quarto, que trata das relações internacionais. O chanceler destaca que entre os itens deste artigo, está a defesa dos Direitos Humanos e da autodeterminação dos povos, elementos que foram tratados na reunião com Pompeo. Ainda na audiência, a senadora Mara Gabrilli, do PSDB de São Paulo, criticou o discurso feito pelo presidente Jair Bolsonaro na ONU e quis saber do chanceler qual o objetivo daquelas palavras para a política externa: (Mara Gabrilli) Vossa Excelência, Ernesto, realmente entende vantajoso abrir uma assembleia da ONU fechando portas para outros países? O que o país ganha com isso? (Repórter) Ernesto Araújo defendeu o discurso de Jair Bolsonaro na ONU: (Ernesto Araújo) O Brasil não está fechando nenhuma porta. O Brasil está dizendo aquilo que pensa, aquilo que é o sentimento do povo brasileiro. O discurso do presidente nas Nações Unidas procurou mostrar a realidade no combate ao covid, a realidade da Amazônia. (Repórter) Ernesto Araújo ainda disse que a visita de Pompeo não tem relação com a eleição presidencial dos Estados Unidos, pois, segundo ele, Democratas e Republicanos tem posições parecidas em relação à Venezuela, contra Nicolas Maduro.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou em audiência da Comissão de Relações Exteriores do Senado (CRE) que não houve ameaça à Venezuela por parte do secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, durante visita a Boa Vista, capital de Roraima. Segundo Araújo, o que aconteceu foi uma má-tradução. Mas o senador Telmário Mota (PROS-RR) afirma que a visita de Mike Pompeo teve objetivo eleitoreiro. Mais informações com o repórter Rodrigo Resende, da Rádio Senado.

TÓPICOS:
Amazônia  Bolsonaro  Comissão de Relações Exteriores  Direitos Humanos  Estados Unidos  ONU  Política  PROS  PSDB  Roraima  São Paulo  Senador Telmário Mota  Senadora Mara Gabrilli  Trabalho  Venezuela  CRE 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo