Balanço 2018

Implementação do novo ensino médio é desafio para os próximos anos

02:15Implementação do novo ensino médio é desafio para os próximos anos

Transcrição LOC: A IMPLEMENTAÇÃO DO NOVO ENSINO MÉDIO É UM DOS PRINCIPAIS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO PARA OS PRÓXIMOS ANOS. LOC: O NOVO MODELO JÁ ADOTADO EM OUTROS PAÍSES PREVÊ A IMPLANTAÇÃO GRADUAL DO ENSINO INTEGRAL E BUSCA MANTER OS JOVENS NA ESCOLA. O RELATOR DA PROPOSTA NO SENADO, PEDRO CHAVES, CONSIDERA A INICIATIVA UMA VERDADEIRA REVOLUÇÃO EDUCACIONAL. REPÓRTER GEORGE CARDIM. Téc: A Reforma do Ensino Médio aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pela Presidência da República há dois anos determina, entre outros pontos, a implantação gradual do ensino integral e o aumento da carga horária mínima anual de duas mil para três mil horas, ou seja 5 horas por dia. Deste total, 1800 horas são voltadas para um currículo básico em todo o país e as 1200 horas restantes serão definidas segundo a proposta da escola e escolhidas pelos estudantes de acordo com a sua área de interesse. Homologada em dezembro pelo Ministério da Educação, a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio, prevê que apenas português e matemática tenham carga horária obrigatória nos três anos do ensino médio. As mudanças devem ser implementadas a partir de 2019, em algumas escolas-piloto, mas devem chegar às salas de aula das redes públicas e escolas privadas até 2021. O relator da proposta no Senado, Pedro Chaves, do PRB de Mato Grosso do Sul, disse que o novo modelo adotado em outros países busca modernizar a educação e atrair e manter os jovens nas escolas. (Pedro Chaves) “Há, portanto, uma mudança cultural que se inicia na implantação de formatos dinâmicos e criativos de educação. É uma verdadeira revolução no novo modelo educacional. Todas essas ações têm os requisitos necessários para modernizar a educação no Brasil, sobretudo no ensino médio, que é a etapa onde se encontram os indicadores mais críticos. Já tivemos a experiência da Finlândia, tivemos a experiência de Singapura e de diversos outros países. (Repórter) Com as mudanças, o Ensino Médio terá disciplinas nas áreas de linguagens, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e ciências humanas e sociais aplicadas, além de formação técnica e profissional. Da Rádio Senado, George Cardim.

 

A Reforma do Ensino Médio determina, entre outros pontos, a implantação gradual do ensino integral e o aumento da carga horária mínima anual de duas mil para três mil horas até 2002. Deste total, 1800 horas são voltadas para um currículo básico em todo o país e as 1200 horas restantes serão definidas segundo a proposta da escola e escolhidas pelos estudantes de acordo com a sua área de interesse. Homologada em dezembro pelo Ministério da Educação, a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio, prevê que apenas português e matemática tenham carga horária obrigatória nos três anos do ensino médio. As mudanças devem ser implementadas a partir de 2019, em algumas escolas-piloto, mas devem chegar às salas de aula até 2021. O relator da proposta no Senado, Pedro Chaves (PRB-MS) considera a iniciativa uma revolução educacional e disse que o novo modelo adotado em outros países busca modernizar o ensino e atrair e manter os jovens nas escolas.

 

 

TÓPICOS:
Congresso Nacional  Educação  Ensino Médio  Escolas  Mato Grosso  Mato Grosso do Sul  Ministério da Educação  PRB  Presidência da República 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo