Serviço Público

Governo encaminha ao Congresso proposta de reforma administrativa

01:59Governo encaminha ao Congresso proposta de reforma administrativa

Transcrição LOC: FOI APRESENTADA NESTA QUINTA-FEIRA A PROPOSTA DE REFORMA ADMINISTRATIVA QUE VAI ABRANGER OS TRÊS PODERES DA UNIÃO, DE ESTADOS E MUNICÍPIOS. LOC: E AS PRIMEIRAS IMPRESSÕES DOS SENADORES SOBRE A REDUÇÃO DE CUSTOS, UM DOS PRINCIPAIS OBJETIVOS DA REFORMA, SÃO DIVERGENTES. REPÓRTER MAURÍCIO DE SANTI: TÉC: A proposta confirma o anúncio do presidente Jair Bolsonaro de que as mudanças só vão atingir os futuros servidores públicos. Os dois objetivos principais da reforma administrativa são a redução de custos e a melhoria da gestão do setor público. Entre as medidas estão a proibição da progressão automática na carreira, maior rigor nas avaliações de desempenho, redução no número de carreiras e fim da estabilidade para maioria das funções. Uma série de pontos precisará ser regulamentada, caso a proposta seja aprovada da forma como foi enviada ao Congresso. Mas para o senador Jorge Kajuru, do Cidadania de Goiás, é um primeiro passo importante. Ele acredita que a reforma vai ajudar a reduzir os custos e as distorções que existem no setor público: (Kajuru): vai trazer um pouco de racionalidade ao setor público, que tem se caracterizado por gerar desigualdades abismais. Será apenas um elemento para reduzir o custo da máquina oficial, mas deve ser valorizada muito. Não se chega ao fim sem um começo. (MAURÍCIO): Já o líder da Oposição, Randolfe Rodrigues, senador da Rede Sustentabilidade do Amapá, avalia que o texto enviado ao Congresso não vai diminuir despesas, pelo contrário, ele acredita que haverá um aprofundamento das desigualdades que já existem: (Randolfe): Essa é uma reforma administrativa que não reduzirá em nada o gasto público e aprofundará as desigualdades que já existem no serviço público. Se o Parlamento quer fazer alguma mudança, o Parlamento tem que primeiro dar o exemplo. Tem que reduzir as verbas indenizatórias dos gabinetes dos parlamentares, tem que reduzir as estruturas gigantescas que existem tanto no Senado quanto na Câmara. (MAURÍCIO): A reforma administrativa deverá ser aprovada em dois turnos de votação no plenário da Câmara dos Deputados e outros dois turnos no Senado Federal. Da Rádio Senado, Maurício de Santi.

O governo encaminhou ao Congresso nesta quinta-feira (3) a proposta de reforma administrativa. A intenção é melhorar a gestão do setor público e reduzir os custos. O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) disse que se trata de um primeiro passo para reduzir as desigualdades existentes no serviço público. Já o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) não acredita que a reforma surtirá os efeitos esperados pelo governo. As informações são do repórter Maurício de Santi.

TÓPICOS:
Amapá  Bolsonaro  Câmara dos Deputados  Cidadania  Estados  Goiás  Municípios  Oposição  Rede  Rede Sustentabilidade  Reforma Administrativa  Senado Federal  Senador Jorge Kajuru  Senador Randolfe Rodrigues  Serviço Público  Servidores públicos  Sustentabilidade  União 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 0 61 2211
Ao vivo