Esforço Concentrado

Direção da Anvisa aprovada no Senado vai certificar vacinas

02:09Direção da Anvisa aprovada no Senado vai certificar vacinas

Transcrição LOC: VACINA CONTRA A COVID-19 PODE ESTAR DISPONÍVEL PELO SUS A PARTIR DO INÍCIO DE 2021, DE ACORDO COM O MINISTÉRIO DA SAÚDE. LOC: A LIBERAÇÃO VAI DEPENDER DA APROVAÇÃO PELOS DIRETORES DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA, CONFIRMADOS PELO SENADO NESTA TERÇA-FEIRA. REPÓRTER ROBERTO FRAGOSO. TÉC: No mesmo dia em que o Ministério da Saúde anunciou a compra de 46 milhões de doses da Coronavac, vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, o Senado aprovou quatro nomes para a diretoria da Anvisa. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária será a responsável por certificar a segurança e eficácia de todas as vacinas contra a covid-19. O senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, comemorou o entendimento, alcançado entre o governo federal e 24 governadores, em torno da busca mais rápida por uma vacina. (Randolfe Rodrigues) Essa é a vacina mais avançada em curso neste momento no Brasil, esta é a que já conseguiu alcançar todas as suas etapas. E eu fico feliz que as controvérsias políticas tenham sido superadas. Desde o início nos proclamávamos que para o vírus e para a vacina não podem existir cor partidária, bandeira ideológica, qualquer controvérsia política deveria ser superada. O vírus não é chinês, americano, russo, o vírus é uma ameaça a toda a humanidade. (Repórter) Durante a sabatina no Senado, o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, que já vinha conduzindo o órgão regulador como interino, disse que a agência tem a pandemia como prioridade desde o início. E que a certificação da vacina com critérios de segurança e eficácia vai ser o principal foco nos próximos meses. (Antônio Barra Torres) Ressalto o trabalho da agência no enfrentamento da Covid-19 como o primeiro órgão federal a se manifestar perante a sociedade, no dia 27 de janeiro de 2020, quando ali já norteamos que a nossa prioridade seria o enfrentamento da pandemia. Todas as ações regulatórias no campo dos respiradores, no campo dos testes rápidos foram desenvolvidas. Durante certo período foram mais de 30 resoluções de diretoria colegiada num intervalo de 20 dias. E agora é claro, o nosso principal desafio é a questão das vacinas que estão em desenvolvimento no nosso Brasil. (Repórter) O governo deve editar uma medida provisória liberando um bilhão e 900 milhões de reais para incluir a vacina no Programa Nacional de Imunizações e oferecê-la pelo SUS. Ela só poderá ser comprada, no entanto, após aprovação pela Anvisa. Da Rádio Senado, Roberto Fragoso. MSF 51/2020 (Antônio Barra Torres) MSF 56/2020 (Alex Machado Campos) MSF 60/2020 (Meiruze Sousa Freitas) MSF 65/2020 (Cristiane Rose Jourdan Gomes)

A vacina contra a covid-19 pode estar disponível pelo SUS no início de 2021, de acordo com o Ministério da Saúde. A liberação vai depender da aprovação pelos diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), confirmados pelo Senado nesta terça-feira (20). O governo deve editar uma medida provisória liberando R$ 1,9 bi para incluir a vacina no Programa Nacional de Imunizações. A reportagem é de Roberto Fragoso, da Rádio Senado.

TÓPICOS:
Amapá  Anvisa  Coronavírus  covid-19  Desenvolvimento  Medida Provisória  Ministério da Saúde  pandemia  Política  Rede  Rede Sustentabilidade  Saúde  Segurança  Senador Randolfe Rodrigues  SUS  Sustentabilidade  Trabalho  Vigilância sanitária 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 0 61 2211
Ao vivo