Audiência pública

CE debate situação dos cursos de enfermagem a distância

01/06/2017, 16h14 - ATUALIZADO EM 01/06/2017, 16h53
Duração de áudio: 02:18
Comissão de Educação, Cultura e Esporte realiza audiência interativa para debater problemas dos cursos de graduação em enfermagem à distância. Entre os convidados, representantes do Conselho Federal de Enfermagem, do Ministério da Saúde e do MEC.

Mesa:
secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) do Ministério da Educação (MEC), Henrique Sartori de Almeida Prado;
presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), Luiz Roberto Liza Curi;
presidente eventual da CE, senador Pedro Chaves (PSC-MS);
diretora da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), Rita Maria Lino Tarcia;
presidente da Associação Brasileira dos Estudantes de Educação a Distância (ABE-EAD), Ricardo Holz.

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Transcrição
LOC: A SITUAÇÃO DOS CURSOS DE ENFERMAGEM NA MODALIDADE A DISTÂNCIA FOI TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO. LOC: OS PARTICIPANTES PEDIRAM MAIS QUALIDADE E FISCALIZAÇÃO POR PARTE DO MEC. REPÓRTER ANA BEATRIZ SANTOS. (Repórter) A Comissão de Educação debateu a situação dos cursos superiores de enfermagem à distância. Uma pesquisa feita pelo Conselho Federal de Enfermagem constatou, em 2015, que diversos pólos de ensino a distância não oferecem condições adequadas para o estudante. A maior preocupação do Conselho é que profissionais mal preparados possam prejudicar a situação dos usuários da Saúde, uma vez que 60 por cento dos trabalhos dessa área são executados pelos enfermeiros e técnicos sob a supervisão deles. Segundo a representante da Federação Nacional dos Enfermeiros, Shirley Morales, o MEC precisa fiscalizar todos os cursos presenciais e à distância para que os serviços de saúde no Brasil tenham profissionais seguros e bem treinados e a vida do paciente não seja colocada em risco. ( Shirley Morales) Precisa melhorar a fiscalização. Precisa melhorar os critérios inclusive melhorar os critérios pra fiscalizar. Por que se tem o MEC vai fazer a fiscalização. A gente precisa ter no MEC pessoas que conhecem a realidade da saúde para ajudar a criar os critérios. (Repórter) O autor do pedido da audiência, senador José Medeiros, do PSD de Mato Grosso, acredita que a expansão dos cursos dessa modalidade vai continuar a ser tema de discussão na CE. (José Medeiros) Eu creio que o assunto não termina aqui. Nos precisamos falar mais sobre ele até que a gente tenha subsidio pra trabalhar com o MEC caso seja necessário a regulamentação sobre o tema. (Repórter) Representantes do MEC e das universidades reforçaram que o currículo dos cursos à distância inclui aulas presenciais obrigatórias, ou seja, no Brasil não existe curso superior credenciado pelo MEC que seja cem por cento virtual. Os especialistas garantem que em termos de conteúdo e carga horária os cursos presenciais e à distância são equivalentes e, por isso, a formação dos alunos que fazem esse curso não é inferior. Cerca de 200 pessoas se manifestaram por meio do portal e-cidadania e do Alô Senado durante a audiência pública.

Ao vivo
00:0000:00