Projeto

Cães, gatos e aves apreendidos não poderão ser sacrificados

01:53Cães, gatos e aves apreendidos não poderão ser sacrificados

Transcrição LOC: CÃES, GATOS E AVES QUE FOREM APREENDIDOS PELA ZOONOSES OU PELA VIGILÂNCIA SANITÁRIA NÃO PODERÃO SER SACRIFICADOS. LOC: UM PROJETO COM ESSE OBJETIVO FOI APROVADO PELO SENADO E SEGUE PARA ANÁLISE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. A REPORTAGEM É DE RODRIGO RESENDE: (Repórter) Instituições públicas como canis que recebam animais recolhidos por órgãos de zoonoses ou da vigilância sanitária não poderão abater cães, gatos e aves. Projeto com esse objetivo, do deputado federal Ricardo Izar, do PSD de São Paulo, foi aprovado pelo plenário do Senado. O relator da proposta na Comissão de Assuntos Sociais, senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, afirmou que devem ser desenvolvidas formas mais dignas de tratamento aos animais apreendidos: (Randolfe Rodrigues) Objetiva que os entes federados adotem um controle mais refinado de cães e gatos sem dono, estruturando seu serviço de saúde, vigilância sanitária e controle de zoonoses para adotar práticas menos brutais de manejo populacional. (Repórter) O senador Telmário Mota, do Pros de Roraima, afirmou que a medida evita, por exemplo, execuções de animais que escaparam da casa de seus cuidadores: (Telmário Mota) O projeto é um projeto muito bom porque ele evita os exageros principalmente pelo setor de zoonoses. Às vezes um animal de alta estimação, de boa genética escapa de uma casa e aí o cara da zoonose já pega, já laça e já executa. É um absurdo. (Repórter) Telmário apresentou uma emenda para acrescentar as aves à lista dos animais que não poderão ser abatidos. De acordo com o senador, muitos fiscais confundem criadouros de determinadas espécies com rinhas e acabam sacrificando as aves inutilmente: (Telmário Mota) Os fiscais chegam desorientados, chegam em um criatório e confundem criatório com rinha, essas coisas todas, Sabe dali para onde vai? Matar! Eles vão em nome da proteção e mata. Tem que obedecer a lei. O que a lei determina? Soltar no seu habitat. Aí sim. Essa é a regra. (Repórter) A proposta prevê que os animais só poderão ser sacrificados em caso de doenças graves ou infectocontagiosas incuráveis que coloquem em risco a saúde humana e a de outros animais. O projeto volta para análise da Câmara dos Deputados.

O Senado aprovou uma proposta (PLC 17/2017) que proíbe o abate de cães, gatos e aves apreendidos e colocados em instituições públicas como canis. Para o senador Telmário Mota (PROS-RR), o projeto disciplina a atuação dos fiscais e evita a morte de animais que escaparam de seus cuidadores. A reportagem é de Rodrigo Resende, da Rádio Senado.

TÓPICOS:
Amapá  Animais  Câmara dos Deputados  Comissão de Assuntos Sociais  Plenário do Senado  PROS  PSD  Rede  Rede Sustentabilidade  Roraima  São Paulo  Saúde  Senador Randolfe Rodrigues  Senador Telmário Mota  Sustentabilidade  Vigilância sanitária 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo