Testes que vencem em dezembro terão validade renovada, diz Pazuello — Rádio Senado
Audiência pública

Testes que vencem em dezembro terão validade renovada, diz Pazuello

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, participou nesta quarta-feira (2) de uma audiência pública na comissão mista que acompanha as ações do Governo de enfrentamento ao coronavírus. Ele afirmou que o Ministério defende a não obrigatoriedade da vacinação e que os teste de diagnósticos com vencimento e dezembro deverão ter o prazo estendido pela Anvisa. A vice-presidente da comissão, senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) lembrou que a obrigatoriedade é prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente. A reportagem é de Marcella Cunha.

02/12/2020, 13h23 - ATUALIZADO EM 02/12/2020, 14h11
Duração de áudio: 02:27
Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Transcrição
LOC: O BRASIL TERÁ QUATRO GRUPOS PRIORITÁRIOS DE VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19, INCLUINDO IDOSOS, PROFISSIONAIS DE SAÚDE E INDÍGENAS. LOC: O MINISTRO DA SAÚDE, EDUARDO PAZUELLO, AFIRMOU QUE A VACINA NÃO SERÁ OBRIGATÓRIA E QUE TESTES COM VENCIMENTO EM DEZEMBRO TERÃO VALIDADE RENOVADA. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA (Repórter) Ainda não há data prevista para o início da vacinação contra a covid-19 no Brasil, mas já está definido que idosos, profissionais da saúde e indígenas terão prioridade. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que a escolha de se vacinar ou não caberá à população. (Pazuello) Falo pelo Ministério, falo também em consonância com o Presidente da República. A nossa estratégia será de não obrigatoriedade da vacina, trabalhar com campanhas de conscientização, trabalhar pelo padrão da vacina, uma vacina campeã, uma vacina com resultados, sem colaterais. Quando isso começar a dar resultado, é o contrário: a procura será muito grande, e não a obrigatoriedade. (Repórter) Segundo Pazuello, a definição final sobre a obrigatoriedade da vacina caberá ao Supremo Tribunal Federal, mas o Ministério da Saúde defenderá posição contrária. A senadora Eliziane Gama, do Cidadania do Maranhão, lembrou que o Estatuto da Criança e do Adolescente prevê a compulsoriedade em casos recomendados pelas autoridades sanitárias. (Eliziane Gama) O ECA é muito claro sobre a obrigatoriedade de vacina, inclusive o bolsa família é atrelada a condicionante de manutenção de vacinas. Como o governo vai passar por cima disso e deixar de lado o princípio da obrigatoriedade desta vacinação? (Repórter) Sobre os testes de diagnóstico da covid-19 com vencimento em dezembro, Pazuello afirmou que eles não serão desperdiçados e já foi feito um pedido de expansão do prazo para a Anvisa. Um estudo de viabilidade estendida, feito pela empresa fabricante, foi enviado para a Agência, que deve anunciar a decisão ainda nesta semana. (Pazuello) Sobre a caixa do kit, quando chegou, à época, foi feito um registro inicial com a Anvisa e a empresa, dando uma validade pequena, emergencial para iniciar o uso, que é bem pequena, de oito meses. Essa validade inicial seria e será renovada, porque todos os componentes dos testes têm a validade muito mais estendida. Nós sempre soubemos disso. Isso não é uma novidade. (Repórter) O Ministério afirmou, ainda, que se tratam de 2 milhões e 800 mil testes e não 6 milhões como informado pela imprensa. O teste RT-PCR é considerado padrão ouro para a detecção do coronavírus e chega a custar 400 reais na rede privada.

Ao vivo
00:0000:00