Dia Mundial de Combate ao AVC é celebrado em 29 de outubro — Rádio Senado
Saúde

Dia Mundial de Combate ao AVC é celebrado em 29 de outubro

No dia 29 de outubro é celebrado o Dia Mundial de Combate ao AVC.  A data busca conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção e do tratamento da doença. Segundo o Ministério da Saúde, o acidente vascular cerebral é a enfermidade que mais mata no Brasil, com mais de 100 mil vítimas por ano. Especialistas apontam que nove em cada dez casos estão relacionados com fatores de risco que podem ser prevenidos, como hipertensão, diabetes, colesterol alto, tabagismo e sedentarismo. A senadora Ana Amélia (PP-RS) defende a ampliação do número de hospitais credenciados pelo Ministério da Saúde para o cuidar da doença.

24/10/2018, 13h08 - ATUALIZADO EM 24/10/2018, 14h33
Duração de áudio: 02:15
utah778/istockphoto

Transcrição
LOC: NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA, DIA 29 DE OUTUBRO, É CELEBRADO O DIA MUNDIAL DE COMBATE AO AVC. O ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL É A DOENÇA QUE MAIS MATA NO BRASIL. LOC: ESPECIALISTAS APONTAM QUE A PREVENÇÃO, O DIAGNÓSTICO PRECOCE E O ATENDIMENTO MÉDICO IMEDIATO AJUDAM A SALVAR VIDAS E A REDUZIR AS SEQUELAS. A REPORTAGEM É DE GEORGE CARDIM. (Repórter) No dia 29 de outubro é celebrado o Dia Mundial de Combate ao AVC. A data busca alertar e conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção e do tratamento da doença. Segundo o Ministério da Saúde, o acidente vascular cerebral é a doença que mais mata no Brasil, com mais de 100 mil vítimas fatais por ano. No mundo, são mais de seis milhões de mortes anuais. O AVC também é a enfermidade que mais causa incapacidade permanente. O chamado derrame cerebral é provocado pela obstrução em uma artéria do cérebro ou pelo rompimento de vasos sanguíneos na região. Especialistas apontam que nove em cada dez casos estão relacionados com fatores de risco que podem ser prevenidos, como hipertensão, diabetes, colesterol alto, tabagismo e sedentarismo. Também alertam para a necessidade do diagnóstico precoce e atendimento médico imediato, já que os pacientes assistidos na primeira hora do início dos sintomas reduzem em 80% a chance de uma sequela permanente. A senadora Ana Amélia do PP do Rio Grande do Sul, defende a ampliação do número de hospitais credenciados pelo Ministério da Saúde para o cuidar da doença e ensina como reconhecer alguns sintomas do AVC. (Ana Amélia) “Você manda a pessoa sorrir, se ela não conseguir sorrir é um sintoma. Se você pedir para ela lhe abraçar e ela não conseguir lhe abraçar, é um outro sintoma. Se você pedir pra ela dizer a letra de uma música bem simples, se ela não conseguir repetir isso, é um outro sintoma. O último, mais importante e urgente chamar a ambulância do Samu 192.” (Repórter) Este ano, o tema da Campanha será “Reerguendo-se após um AVC”, com foco nas conquistas e nos desafios enfrentados pelos sobreviventes e cuidadores do AVC.

Ao vivo
00:0000:00