Pandemia

Testes rápidos para covid-19 podem não ser conclusivos, explica Anvisa

Testes rápidos para covid-19 não possuem função de diagnóstico e só podem ser aplicados por profissionais de saúde habilitados. Exames podem apresentar falso negativo e têm como principal função mapear o status imunológico da população. Mais informações com a repórter Regina Pinheiro, da Rádio Senado.

15/06/2020, 18h32 - ATUALIZADO EM 15/06/2020, 18h39
Duração de áudio: 02:36
Foto: Foto: Agência Brasília

Transcrição
LOC: TESTES RÁPIDOS PARA COVID-19 NÃO POSSUEM FUNÇÃO DE DIAGNÓSTICO E SÓ PODEM SER APLICADOS POR PROFISSIONAIS DE SAÚDE HABILITADOS LOC: EXAMES PODEM APRESENTAR FALSO NEGATIVO E TÊM COMO PRINCIPAL FUNÇÃO MAPEAR O STATUS IMUNOLÓGICO DA POPULAÇÃO. REPÓRTER REGINA PINHEIRO TÉC: Dois tipos de testes podem auxiliar na detecção do novo coronavírus: o RT-PCR e o de sorologia. Para que haja o diagnóstico do novo coronavírus é preciso que se faça o RT-PCR, considerado padrão ouro pela OMS. Esse teste identifica o vírus a partir da presença do seu material genético na amostra obtida por meio da raspagem de secreções da nasofaringe, nariz, ou orofaringe, garganta. A coleta pode ser feita a partir do terceiro dia após o início dos sintomas, pois o RT-PCR detecta o vírus enquanto ele está ativo no organismo. Já o teste de sorologia não possui a função de diagnóstico, pois não revela o vírus no corpo, mas sim, os anticorpos que surgem após a reação de defesa do organismo quando exposto ao coronavírus. Nesses testes, é utilizada amostra de sangue para se encontrar os anticorpos IgM ou IgG, a resposta imunológica ao vírus. Testes rápidos utilizam dispositivos semelhantes ao de um teste de gravidez, no qual se coloca a amostra de sangue para verificar a presença de anticorpos. Conforme a Anvisa, a indicação é que se faça esse tipo de exame pelo menos oito dias após o início dos sintomas. A utilização de testes rápidos antes desse período pode levar a resultados negativos mesmo nas pessoas que possuam o vírus, apresentando um “falso negativo”. O Médico Infectologista Alexandre Cunha esclarece que o exame de forma isolada não é responsável pela condução do tratamento: (Alexandre) Importante esclarecer que o diagnóstico através de exames laboratoriais não é importante para a condução de cada caso individualmente. Muitas vezes os exames têm resultados falso negativo e pacientes que tem suspeitas de estarem infectados vão ser tratados como tendo coronavírus. Portanto, tem que observar o quadro geral, manter-se em isolamento e deve procurar uma unidade de saúde somente se tiver falta de ar. (Rep) Os testes rápidos são de uso profissional e os seus resultados devem ser interpretados por um especialista da área de saúde habilitado. De acordo com a Anvisa, os testes IgM/IgG são importantes para o mapeamento do status imunológico da população, verificando quem já teve a doença ou foi exposto ao vírus. Está em fase final de desenvolvimento na Universidade Federal de Uberlândia um aparelho de teste rápido capaz de identificar a Covid-19 pela amostra de saliva em aproximadamente dois minutos. Da Rádio Senado, Regina Pinheiro

Ao vivo
00:0000:00