Meio Ambiente

Simone Tebet pede que Conselho da Amazônia acompanhe incêndios no pantanal

02:35Simone Tebet pede que Conselho da Amazônia acompanhe incêndios no pantanal

Transcrição LOC: O PANTANAL VIVE UMA CRISE DE QUEIMADAS EM 2020. O MÊS DE JULHO REGISTROU O MAIOR NÚMERO DE INCÊNDIOS DOS ÚLTIMOS 22 ANOS. LOC: A SENADORA SIMONE TEBET PROPÕE QUE O CONSELHO DA AMAZÔNIA LEGAL ACOMPANHE TAMBÉM A SITUAÇÃO DO PANTANAL. A REPORTAGEM É DE JOSÉ ODEVEZA. TÉC: O Pantanal vive a pior seca dos últimos 50 anos. Com a chuva escassa e o aumento do desmatamento na região, os focos de incêndio crescem rapidamente. Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apontam que só em julho o Pantanal teve 1.684 focos de queimadas. No mesmo mês, no ano passado, foram 494 focos. São milhares de hectares queimados e famílias impactadas pela tragédia. A quilombola Laura Ferreira, da comunidade mutuca em Mato Grosso relatou que as famílias da região sofrem com a fumaça constante e necessitam de itens básicos para a subsistência da população, já que muitas plantações foram dizimadas. (Laura Ferreira) prejudica a questão respiratória, aumento da temperatura. As queimadas se iniciam e adentram dentro dos territórios quilombolas, destruindo todas as plantações, principalmente num momento tão difícil que as comunidades estão enfrentando diante da pandemia. (LOC) Para o educador ambiental da organização Fase no Mato Grosso, Leonel Wohlfahrt, que compõe o Conselho Ambiental da Secretária de Meio Ambiente de Mato Grosso - SEMA, o Governo Federal precisa urgentemente ampliar a fiscalização na região. Ele denuncia que a pandemia diminuiu ainda mais a atuação dos órgãos de proteção ambiental. (Leonel Wohlfahrt) A história da Pandemia agravou a situação com relação a própria fiscalização. A própria SEMA fez com que seus funcionários trabalhassem de casa e aí eles não têm acesso ao sistema de monitoramento virtual. Então fica duas ou três pessoas e ai eles mascaram esses tipos de processo de agressão ao meio ambiente. (LOC) A senadora Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul, pediu que seja seguida uma indicação do Senado Federal ao presidente da República para que a região pantaneira seja acompanhada pelo Conselho da Amazônia Legal, reativado este ano. (Simone Tebet) O Pantanal está sendo destruído, o governo federal e o governo do estado entram com o estado de situação de emergência. E essa indicação é simples sugerindo ao sr presidente da república que possa reestruturar o Conselho Nacional da Amazônia Legal, para incorporar o bioma pantanal pelo menos nesse período de seca, que todo ano acontece sobre a supervisão do vice presidente da república, para que possa fazer politicas coordenadas de controle das queimadas. (LOC) Nesta última quinta-feira, o estado de Mato Grosso firmou uma parceria para contar com o apoio do Exército e da Marinha para tentar frear as queimadas. Até o momento já são estimados mais de 100 mil hectares destruídos pelo fogo. Sob supervisão de Maurício de Santi da Rádio Senado, José Odeveza.

As queimadas na região pantaneira são as piores dos últimos 22 anos. A seca e o avanço do desmatamento são apontados como agravantes. A senadora Simone Tebet (MDB-MS) pediu para que o governo federal siga a indicação feita pelo Senado para que o pantanal seja acompanhado pelo Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL). Ela considera que o órgão tem maior capacidade de pensar estratégias eficazes para a proteção ambiental da região. A reportagem é de José Odeveza.

TÓPICOS:
Amazônia  Desmatamento  Fiscalização  História  Mato Grosso  Mato Grosso do Sul  MDB  Meio Ambiente  pandemia  Presidente da República  Quilombolas  Seca  Senado Federal  Senadora Simone Tebet 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo