Comissões

Senadores pedem fim da ditadura na Venezuela por meios diplomáticos

02:22Senadores pedem fim da ditadura na Venezuela por meios diplomáticos

Transcrição LOC: VÁRIOS SENADORES SE MANIFESTARAM NESTA QUINTA-FEIRA DURANTE REUNIÃO DA COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES SOBRE O CASO DA VENEZUELA. LOC: NO GERAL, ENTENDEM QUE O BRASIL NÃO DEVE INTERVIR EM ASSUNTOS INTERNOS DE OUTROS PAÍSES. MAS NÃO PODE APOIAR A DITADURA INSTALADA EM CARACAS. A REPORTAGEM É DE FLORIANO FILHO. TÉC: A situação social e política na Venezuela continua instável. Os conflitos desta semana deixaram dezenas de feridos e duas mortes já confirmadas. O cenário econômico, por sua vez, é caótico em meio à maior recessão da história do país. Cinco anos de retração econômica combinaram hiperinflação, aumento da pobreza e êxodo de venezuelanos para países vizinhos como Colômbia e Brasil. Em 2018, a queda do PIB venezuelano foi de 18% e segundo o Banco Mundial pode cair mais 25% este ano. A inflação venezuelana deverá chegar a 10 milhões por cento até o fim de 2019. O governo dos Estados Unidos, grande importador do petróleo venezuelano, não descarta uma intervenção no vizinho brasileiro. Mas para o senador Randolfe Rodrigues, do Rede Sustentabilidade do Amapá, o Brasil deve manter a tradição de não intervir militarmente em assuntos de outros países. Mas, segundo afirmou na reunião da Comissão de Relações Exteriores do Senado, não deveria apoiar o regime autoritário de Nicolás Maduro. (Randolfe): A ditadura existente na Venezuela deve ser esgotada pelas pressões diplomáticas que o país tem que cumprir. (Rep): O senador Flávio Bolsonaro, do PSL do Rio de Janeiro, avalia que a situação na fronteira também é alarmante. (Flávio): A situação é muito, mas muito dramática em todos os segmentos. Seja na esfera da segurança, na esfera da saúde. Os hospitais estão tomados por venezuelanos que precisam desse atendimento. (Rep): O senador Álvaro Dias, do Podemos do Paraná, lamentou que o Brasil tivesse emprestado tanto dinheiro para o que ele classificou como ditadura bolivariana. Venezuela, Cuba e Moçambique devem cerca de um bilhão e setecentos milhões de reais ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES.

A situação social e política na Venezuela continua instável. Os conflitos desta semana deixaram dezenas de feridos e duas mortes já confirmadas. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou durante reunião da Comissão de Relações Exteriores do Senado, que o Brasil não deve intervir militarmente, mas não pode apoiar o regime autoritário de Nicolás Maduro. A reportagem é de Floriano Filho.

TÓPICOS:
Amapá  Banco Mundial  BNDES  Bolsonaro  Colômbia  Comissão de Relações Exteriores  Comissões  CRE  Cuba  Desenvolvimento  Estados  Estados Unidos  História  Inflação  Moçambique  Paraná  Petróleo  PIB  Pobreza  Podemos  Política  PSL  Rede  Rede Sustentabilidade  Relações Exteriores  Rio de Janeiro  Saúde  Segurança  Senador Flávio Bolsonaro  Senador Randolfe Rodrigues  Sustentabilidade  Venezuela 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo