Coronavírus

Senadores elogiam Nova Zelândia por zerar casos de covid-19

02:22Senadores elogiam Nova Zelândia por zerar casos de covid-19

Transcrição LOC: A NOVA ZELÂNDIA ZEROU O NÚMERO DE CASOS DE COVID-19 E LIBEROU O RETORNO ÀS ATIVIDADES NORMAIS. LOC: SENADORES COMENTARAM AS MEDIDAS ADOTADAS PARA COMBATER O NOVO CORONAVÍRUS NAQUELE PAÍS. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. (Repórter) Sem nenhum novo caso ativo do novo coronavírus há 17 dias, a Nova Zelândia suspendeu as restrições sociais e econômicas adotadas. Apenas será mantido o controle de fronteiras. Com isso, negócios, eventos, viagens domésticas e transportes públicos foram autorizados a retomarem o funcionamento, sem as regras de distanciamento. A liberação foi possível devido às rigorosas medidas tomadas no país, como o rápido fechamento das fronteiras, o lockdown, a proibição de circulação de pessoas, a testagem em massa e o rastreamento de infectados. Ao elogiar o exemplo da Nova Zelândia, o senador Plínio Valério, do PSDB do Amazonas, defendeu mais controle das fronteiras brasileiras. (Plínio Valério) “Essas medidas classificadas como rigorosas pela Nova Zelândia que zerou a doença da pandemia, nós da Amazônia estamos constantemente pedindo que o governo olhe mais para as nossas fronteiras. Então que fique claro com essa pandemia que é preciso dar mais atenção e ter uma política voltada única e exclusivamente para proteger as nossas fronteiras, que são grandes e desabitadas e não são vigiadas. (Repórter) E o senador Weverton, do PDT do Maranhão, sugeriu que o Brasil siga exemplos de sucesso no combate à pandemia. (Weverton) “O Brasil, poderia utilizar e se espelhar em exemplos exitosos que aconteceram no mundo afora, como a Nova Zelândia. Independentemente da questão da quantidade de habitantes, o que é importante é o modelo que foi instituído, onde todos falaram uma linguagem só, estão conseguindo retomar suas atividades e, assim, salvando a economia. O Brasil, não. Na contramão, o presidente, desde o início, fala uma coisa, os governadores, seguindo a linha da Organização Mundial da Saúde e dos cientistas, seguem a correta, e cria uma grande dúvida no meio da comunidade, da sociedade, levando, assim, a uma ineficiência (Repórter) O número de casos de covid-19 na Nova Zelândia começou a diminuir 10 dias após o início do isolamento, mas não houve relaxamento imediato das restrições. O país, com cinco milhões de habitantes, teve 1.154 casos da covid-19 e 22 mortes.

A Nova Zelândia anunciou nesta segunda-feira (8) que zerou os casos ativos do novo coronavírus e, com isso, suspendeu as restrições sociais e econômicas, exceto o controle de fronteiras. A retomada das atividades foi possível pelas rigorosas medidas tomadas, como rápido fechamento das fronteiras, a proibição de circulação de pessoas (lockdown), a testagem em massa e o rastreamento de infectados. Ao elogiar o êxito da Nova Zelândia, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) defendeu maior controle das fronteiras brasileiras. E o senador Weverton (PDT-MA) sugeriu que o Brasil siga exemplos exitosos no combate à pandemia. A reportagem é de Iara Farias Borges.

TÓPICOS:
Amazônia  Amazonas  Coronavírus  covid-19  Economia  Maranhão  Nova Zelândia  Organização Mundial da Saúde  pandemia  PDT  Política  PSDB  Saúde  Senador Plínio Valério  Transportes 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo