Imigração

Senadores da Região Norte pedem ajuda para receber refugiados venezuelanos

A chegada de venezuelanos aos estados de Roraima, Pará e Amazonas é cada vez mais intensa. Senadores da Região Norte querem a ajuda do governo federal para que os estados possam oferecer estrutura aos imigrantes. O senador Romero Jucá (PMDB-RR) disse que mais de mil pessoas chegam por dia a Pacaraima (RR), na fronteira com a Venezuela, e “adentram o Brasil sem nenhum controle, sem verificação de documento, sem verificação de situação sanitária”. O senador Telmário Mota (PTB-RR) declarou que a situação em Boa Vista é crítica. “Nós não temos mais leitos nos hospitais, já era péssimo ficou pior ainda. A segurança comprometida. A prostituição alarmante, pessoas morando em logradouros públicos”. O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) disse que o governo federal “precisa estabelecer critérios e criar condições para que possamos recepcionar de forma correta como fizemos com os haitianos”. O senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) declarou que no seu estado também não há estrutura para atender os venezuelanos.

07/02/2018, 17h41 - ATUALIZADO EM 07/02/2018, 19h26
Duração de áudio: 01:47
Foto: Reprodução

Transcrição
LOC: A CHEGADA DE VENEZUELANOS AOS ESTADOS DE RORAIMA, PARÁ E AMAZONAS É CADA VEZ MAIS INTENSA. LOC: SENADORES DA REGIÃO NORTE QUEREM A AJUDA DO GOVERNO FEDERAL PARA QUE OS ESTADOS POSSAM OFERECER ESTRUTURA AOS IMIGRANTES. REPÓRTER PAULA GROBA. (Repórter) Roraima colocou seus serviços locais em alerta devido à procura crescente por atendimentos de saúde e segurança após a chegada de mais de 40 mil venezuelanos. Os imigrantes deixam o país por conta da grave crise, recessão econômica, fome e falta de segurança. Em plenário, senadores de estados da região Norte alertaram sobre a falta de estrutura para recebê-los. Romero Jucá, do PMDB de Roraima, disse que mais de mil pessoas chegam por dia a Pacaraima, na fronteira da Venezuela com Roraima. (Romero Jucá) Essas pessoas adentram o Brasil sem nenhum controle, sem verificação de documento, sem verificação de situação sanitária, e estão montando um contingente em Roraima que já passa de 10% da população do Estado e tende a crescer mais. (Repórter) Jucá anunciou que vai se reunir com os ministros da Justiça, da Defesa e de Relações Exteriores para tratar do assunto. Ele defende, provisoriamente, o fechamento da fronteira. Além disso, um censo no estado para verificar quantos venezuelanos já estão em solo brasileiro e qual a capacidade de atendimento. Também de Roraima, o senador Telmário Mota, do PTB, alertou que a situação em Boa Vista é crítica. ( Telmário Mota) Nós não temos mais leitos nos hospitais, já era péssimo ficou pior ainda. A segurança comprometida. A prostituição alarmante, pessoas morando em logradouros públicos, nas ruas em abrigos, crianças. (Repórter) Amazonas, outro estado que faz fronteira com a Venezuela, também vem recebendo imigrantes. O senador Eduardo Braga, do PMDB, também pediu atenção do governo para o estado. (Eduardo Braga) Nós não temos nada a receber o povo da Venezuela, agora o governo brasileiro precisa estabelecer critérios e criar condições para que possamos recepcionar de forma correta como fizemos com os haitianos. (Repórter) A situação é similar no Pará. O senador Flexa Ribeiro, do PSDB, disse que não há estrutura para atender os venezuelanos.

Ao vivo
00:0000:00