Governo Bolsonaro

Senadores comentam pedido da PGR para investigar atos antidemocráticos pelo país

02:36Senadores comentam pedido da PGR para investigar atos antidemocráticos pelo país

Transcrição LOC: SENADORES DECLARAM APOIO À ABERTURA DE INVESTIGAÇÃO CONTRA POLÍTICOS E EMPRESÁRIOS QUE ORGANIZARAM MANIFESTAÇÕES ANTIDEMOCRÁTICAS. LOC: OPOSIÇÃO DEFENDE INQUÉRITO CONTRA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, QUE, SEGUNDO GOVERNISTAS, QUER O CONGRESSO E O STF ABERTOS. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN TÉC: Com base na Lei de Segurança Nacional, o procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou ao Supremo Tribunal Federal que investigue manifestações antidemocráticas ocorridas no último dia 19 em algumas cidades. Entre os investigados estão lideranças empresariais e políticas, a exemplo de deputados federais, que são suspeitas de organizar e financiar os eventos em que participantes pediram intervenção militar, a volta do Ato Institucional número 5, que acabou com as liberdades individuais e fechou o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal. Ao defender o inquérito, a senadora Eliziane Gama, do Cidadania do Maranhão, pediu uma investigação contra o presidente Jair Bolsonaro, que discursou na manifestação de Brasília. (Eliziane) Se a Procuradoria-Geral da República decidiu abrir um inquérito, e ela aliás é a única que tem autoridade para isso, ela também precisa investigar a presença do presidente lá. A Procuradoria Geral da República não pode fazer uma meia investigação, ela tem que fazer uma investigação completa. Nesse sentido, inclusive, o nosso partido está encaminhando uma representação para que a PGR, se ela quer investigar, faça uma investigação na sua plenitude. REP: Ao se manifestar favoravelmente ao inquérito sobre os atos antidemocráticos, o vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues, do Democratas de Roraima, negou que o presidente da República também precise ser investigado. (Chico) O presidente foi muito feliz no Palácio da Alvorada quando alguém comentou sobre fechar tudo, ele disse que, na verdade, ele defendia a democracia, o Congresso aberto e o Supremo Tribunal Federal aberto e funcionando. Portanto, isso não é momento de conflito. Esse é um momento de pacificação e não colocar realmente o que a oposição pretende que é o envolvimento indevido do presidente Bolsonaro. REP: A Rede Sustentabilidade já entrou com uma representação na Procuradoria-Geral da República contra o presidente Bolsonaro com a acusação de que ele violou a Constituição ao participar de ato antidemocrático, cometeu crime de responsabilidade e colocou em risco a saúde da população, que se aglomerou em torno dele no Quartel General do Exército em Brasília sem máscaras e luvas para se protegerem do coronavírus. Da Rádio Senado, Hérica Christian.

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) anunciou que o Cidadania pedirá à Procuradoria-Geral da República que inclua o presidente Jair Bolsonaro na investigação de atos antidemocráticos. No inquérito ao Supremo Tribunal Federal, o procurador Augusto Aras cita que lideranças empresariais e políticas organizaram e financiaram atos pela intervenção militar e pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF. Já o vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues (DEM-RR), negou que o presidente da República defenda atos antidemocráticos. As informações são da repórter Hérica Christian.

TÓPICOS:
Bolsonaro  Brasília  Cidadania  Cidades  Congresso Nacional  Constituição  Coronavírus  Crime de responsabilidade  DEM  Democracia  Institucional  Lideranças  Manifestações  Maranhão  Oposição  Presidente da República  Procuradoria-Geral da República  Rede  Rede Sustentabilidade  Roraima  Saúde  Segurança  Senador Chico Rodrigues  Senadora Eliziane Gama  Supremo Tribunal Federal  Sustentabilidade 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo