Coronavírus

Senadores divergem sobre protocolo para uso de cloroquina

03:23Senadores divergem sobre protocolo para uso de cloroquina

Transcrição LOC: O MINISTÉRIO DA SAÚDE LIBEROU NESTA QUARTA-FEIRA O USO DA CLOROQUINA NO SUS PARA CASOS LEVES DA COVID-19. LOC: SENADORES COMENTAM A DECISÃO DO GOVERNO. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. (Repórter) A cloroquina vinha sendo usada apenas para doentes graves, hospitalizados e com acompanhamento médico. Agora, o remédio poderá ser prescrito no Sistema Único de Saúde também para casos leves de covid-19, desde que o paciente assine um Termo de Ciência e Consentimento. O senador Otto Alencar, do PSD da Bahia, que é médico, explicou a ação do medicamento. (Otto Alencar) “A hidroxicloroquina é um anti-inflamatório usado para artrose, usado para lúpus e algumas doenças, que serve para diminuir a dor. É um protocolo, mas não é um remédio para curar a doença, que você toma e mata imediatamente o vírus. É que o ministro Nelson não soube explicar e, muito menos sabe explicar o capitão Jair Bolsonaro, que não entende absolutamente nada de saúde”. (Repórter) A cloroquina e hidroxicloroquina não são recomendados pela Sociedade Brasileira de Infectologia por não ter comprovada eficácia para tratar a covid-19. Sem o aval da Ciência, o medicamento não poderia ser liberado, argumentou o também médico, senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco. (Humberto Costa) “Para se adotar isso como uma conduta do Ministério, uma orientação do Ministério, é preciso que tenhamos fundamentos científicos que sustentem essa decisão. E até o presente momento isso não há. Para nós, é mais uma tentativa do presidente Bolsonaro de minimizar a gravidade da Covid-19, encontrando uma droga milagrosa que possa promover a cura da grande maioria dos doentes”. (Repórter) É da mesma opinião o senador Alessandro Vieira, do Cidadania de Sergipe. (Alessandro Vieira) “O presidente Bolsonaro precisa compreender que o exercício de poder por qualquer agente público no Brasil está limitado àquilo que a Constituição permite. Não é possível obrigar estados, municípios e os cidadãos brasileiros a cumprir protocolos que fogem daquilo que é prescrito pela melhor Ciência. Ao cometer esse tipo de desatino, o presidente Bolsonaro incorre em possível crime de responsabilidade”. (Repórter) Já o senador Sérgio Petecão, do PSD do Acre, concorda com a liberação. (Sérgio Petecão) “As pessoas que têm usado, tem ajudado e ajudado muito. Seria a liberação, lógico, com a orientação médica da cloroquina e da hidroxicloroquina. Quando a família autorizar o uso desse medicamento, o médico pode prescrever. Hoje, a maioria dos médicos não prescreve”. (Repórter) E o senador e médico Nelsinho Trad, do PSD sul-mato-grossense deixou a decisão para os médicos. (Nelsinho Tra) “Se vai seguir o protocolo ou não, polêmico que é, do Ministério da Saúde, cabe ao profissional médico, que tem o seu CRM e as responsabilidades em cima disso para definir o que ele vai prescrever para aquele que lhe procura a fim de curar uma doença. Então, olhando por esse prisma, eu vejo de forma positiva”. (Repórter) O Termo de Ciência e Consentimento que o paciente deve assinar para receber o tratamento com cloroquina alerta sobre efeitos colaterais graves, como redução dos glóbulos brancos, disfunção do fígado e do coração e arritmias, além de danos à retina. E ainda que o medicamento pode levar à incapacidade temporária ou permanente e até ao óbito.

O ministério da Saúde liberou nesta quarta-feira (20) o uso da cloroquina e hidroxicloroquina no Sistema Único de Saúde (SUS) para casos leves da covid-19, desde que o paciente assine um Termo de Ciência e Consentimento. O senador Otto Alencar (PSD-BA), que é médico, explicou que o medicamento é um anti-inflamatório usado para artrose e lúpus. A Sociedade Brasileira de Infectologia não recomenda o seu uso por não estar comprovada a eficácia para tratar a covid-19. Os senadores Humberto Costa (PT-PE), que é médico, e Alessandro Vieira (Cidadania-SE) criticaram a liberação sem o aval da Ciência. Já os senadores Sérgio Petecão (PSD-AC) e o médico Nelsinho Trad (PSD-MS) argumentam que o profissional de saúde é quem deve decidir sobre o uso da cloroquina. Reportagem, Iara Farias Borges.

TÓPICOS:
Acre  Bahia  Bolsonaro  Cidadania  Constituição  covid-19  Estados  Família  Lúpus  Ministério da Saúde  Municípios  Pernambuco  PSD  PT  Saúde  Senador Alessandro Vieira  Senador Humberto Costa  Senador Nelsinho Trad  Senador Otto Alencar  Senador Sérgio Petecão  Sergipe  Sistema Único de Saúde  SUS  Coronavírus 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo