Reforma da Previdência

Senadores comentam aprovação em primeiro turno da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados

02:35Senadores comentam aprovação em primeiro turno da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados

Transcrição LOC: OPOSIÇÃO MINIMIZA VITÓRIA DO GOVERNO COM A APROVAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EM PRIMEIRO TURNO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS. LOC: VICE-LÍDER DO GOVERNO NEGOU QUE O PALÁCIO DO PLANALTO TENHA CONQUISTADO VOTOS COM A LIBERAÇÃO DAS EMENDAS PARLAMENTARES. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN. TÉC: Por 379 votos favoráveis e 131 contrários, o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou o texto-base da Reforma da Previdência. Entre as novas regras de aposentadoria estão a idade mínima de 62 anos para mulheres com 15 anos de contribuição e de 65 para homens com 20 anos de contribuição. Ao cumprimentar os deputados, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, do Democratas do Amapá, destacou que a aprovação da Reforma vai reduzir o déficit e atrair investidores. (Davi Alcolumbre): Eu parabenizo a Câmara dos Deputados, parabenizo o Parlamento Brasileiro que, de maneira altiva, serena e tranquila, vota uma matéria que protegerá o Brasil, incentivará os investimentos, diminuirá o déficit fiscal do Estado Brasileiro, equilibrando as contas e proporcionado a capacidade de muitos investidores de investirem no Brasil através do seu ajuste fiscal. (Repórter): O líder do PT, senador Humberto Costa, de Pernambuco, disse que a Reforma da Previdência só foi aprovada depois da liberação de R$ 2,5 bilhões das emendas parlamentares para partidos da base somente em julho. (H.Costa) O rolo compressor pesou. As emendas que seduziram muitos parlamentares tiveram peso, o toma-lá, dá-cá funcionou e agora vamos ver como é que fica a votação em segundo turno. O importante afirmar que a Reforma que está sendo votada hoje, ela nem de longe é a que o governo pretendia e nós vamos aqui no Senado fazer a nossa resistência e tentar derrotar essa proposta. (Repórter): O vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues, do Democratas de Roraima, negou a prática da velha política criticada por Jair Bolsonaro ao afirmar que as emendas são impositivas, ou seja, a equipe econômica tem a obrigação de liberá-las. (Chico Rodrigues) É um argumento tão frágil. O governo liberar emendas quer dizer que é compra de votos? Então, quer dizer que dois meses atrás, três meses atrás, a liberação das emendas, isso aí na verdade também foi compra de votos? Nos anos anteriores também? Eu entendo que se não puder os parlamentares apresentarem suas emendas e serem liberadas, então, está tudo errado. Então, tem que alterar a Constituição. (Repórter): A Reforma da Previdência ainda precisa ser votada em segundo turno pela Câmara dos Deputados antes de ser enviada para o Senado. Da Rádio Senado, Hérica Christian

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), parabenizou os deputados pela aprovação em primeiro turno da Reforma da Previdência. Já o líder do  PT, senador Humberto Costa (PE) minimizou a vitória do governo ao citar a liberação de R$ 2,5 bilhões das emendas parlamentares para partidos da base.  Mas o vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues (DEM-RR), negou a “compra de votos” ao afirmar que as emendas são impositivas, ou seja, a equipe econômica tem obrigação de liberar. Repórter da Rádio Senado, Hérica Christian.

TÓPICOS:
Ajuste Fiscal  Amapá  Aposentadoria  Bolsonaro  Câmara dos Deputados  Constituição  Davi Alcolumbre  DEM  Investimentos  Oposição  Partidos  Pernambuco  Política  Previdência  PT  Reforma da Previdência  Roraima  Senador Chico Rodrigues  Senador Davi Alcolumbre  Senador Humberto Costa 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo