Reforma da Previdência

Senadores avaliam alterações feitas na reforma da Previdência

02:14Senadores avaliam alterações feitas na reforma da Previdência

Transcrição LOC: APESAR DAS MUDANÇAS FEITAS À REFORMA DA PREVIDÊNCIA AO LONGO DA VOTAÇÃO, O GOVERNO COMEMORA O RESULTADO FINAL. LOC: JÁ A OPOSIÇÃO CITA A RETIRADA DAS ALTERAÇÕES À APOSENTADORIA RURAL E AO PAGAMENTO DO BPC E DO ABONO SALARIAL. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN (Repórter) Ao longo dos oito meses de discussão, a Câmara dos Deputados e o Senado modificaram a Reforma da Previdência encaminhada pelo governo. Com as mudanças, a equipe econômica contará com uma economia de R$ 800 bilhões em dez anos e não mais de R$ 1 trilhão. A Câmara retirou o sistema de capitalização que garantiria a aposentadoria apenas de quem contribuísse; o aumento da idade e de contribuição na aposentadoria rural e de professores; e um gatilho para elevar a idade segundo o envelhecimento populacional medido pelo IBGE. Já o Senado excluiu da proposta a redução da pensão por morte, mudanças para o pagamento do abono salarial e da aposentadoria por invalidez e especial por insalubridade e periculosidade. A senadora Eliziane Gama, do Cidadania do Maranhão, avalia que a Reforma da Previdência penalizou os trabalhadores. Mas considerou a versão aprovada melhor do que a enviada pelo governo federal. (Eliziane Gama) O texto que veio do governo federal acabou pesando muito a mão sobre as populações mais pobres, com aposentados rurais, com a mulher, com a pessoa com deficiência e também com o trabalhador. Nós conseguimos evoluir num texto, inicialmente no Senado pelo senador Tasso Jereissati que admitiu várias emendas. E depois nós conseguimos destaques também no Plenário, a exemplo do abono salarial. (Repórter) O líder do governo no Congresso Nacional, senador Eduardo Gomes, do MDB do Tocantins, minimizou a perda de R$ 200 bilhões com as mudanças feitas à Reforma. Ele lembrou que a PEC Paralela poderá render mais de R$ 300 bilhões com a inclusão de estados e municípios e a taxação do agronegócio exportador e de algumas entidades filantrópicas. (Eduardo Gomes) Basta avaliar o recurso que se pretendia na reforma proposta pelo governo passado do presidente Michel Temer em torno de R$ 500 bilhões e o resultado efetivo de R$ 800 bilhões nessa reforma e ainda tramitação da PEC paralela. (Repórter) O Congresso Nacional também alterou o cálculo e o reajuste dos benefícios e excluiu bombeiros e policiais militares da Reforma. PEC 06/2019

O líder do governo no Congresso Nacional, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), minimizou as mudanças feitas à Reforma da Previdência desde o início da discussão. A proposta original previa uma economia de R$ 1 trilhão, mas a versão aprovada renderá R$ 800 bilhões. Já a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) afirmou que o Congresso conseguiu retirar alguns trechos, a exemplo do abano salarial, do Benefício de Prestação Continuada e a redução do valor dos benefícios e da pensão. As informações são da repórter da Rádio Senado, Hérica Christian.

TÓPICOS:
Agronegócio  Aposentadoria  Aposentados  Câmara dos Deputados  Cidadania  Congresso Nacional  Economia  Estados  IBGE  Maranhão  MDB  Michel Temer  Municípios  Oposição  Periculosidade  Previdência  Professores  Reforma da Previdência  Senador Eduardo Gomes  Senador Tasso Jereissati  Senadora Eliziane Gama  Tocantins 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo