Ciência e Tecnologia

Senado participa do II Fórum Nacional de Radiodifusão do Ministério da Ciência e Tecnologia

02:51Senado participa do II Fórum Nacional de Radiodifusão do Ministério da Ciência e Tecnologia

Transcrição LOC: O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES PROMOVEU O II FÓRUM NACIONAL DE RADIODIFUSÃO PARA DEBATER O PANORAMA ATUAL DO SETOR E IDENTIFICAR OS PRINCIPAIS DESAFIOS. LOC: A DIRETORA DA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO SENADO, ÉRICA CEOLIN, PARTICIOU DO PAINEL DE DEBATES SOBRE AS EMISSORAS DE RÁDIO E TV DA UNIÃO. A REPORTAGEM É DE LARA KINUE. (Rerpórter) O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações promoveu o II Fórum Nacional de Radiodifusão para debater o panorama atual do setor e identificar seus principais desafios. O evento tratou de temas como o novo regulamento da Radiodifusão, os obstáculos para o modelo de negócios e o papel social das rádios comunitárias. O Secretário de Radiodifusão do MCTIC, Elifas do Amaral, destacou as contribuições do Fórum para o aperfeiçoamento da comunicação: (Elifas do Amaral) É o momento de nós ouvirmos o setor, como foi na primeira oportunidade que tivemos em 21 de Fevereiro do ano passado. Agora nós vamos prestar contas daquilo que a gente ouviu de vocês e queremos ouvir outras posições, outras opiniões, sugestões para que nós possamos fazer a radiodifusão crescer mais ainda. (Repórter) Representando o Senado, a diretora da Secretaria de Comunicação Social, Érica Ceolin, participou do painel de debate sobre “Consignações da União”, que tratou do papel das emissoras de Rádio e TV públicas na comunicação institucional dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Érica Ceolin destacou o trabalho da TV e da Rádio Senado ao levar as atividades do Congresso Nacional à população, incentivar a participação da sociedade e a transparência na política a fim de colaborar com o fortalecimento da democracia. Para ela, é necessário fomentar o debate sobre a audiência nessas emissoras. (Érica Ceolin) Os veículos de comunicação legislativos mudaram os costumes dos políticos na forma de se apresentar ao eleitor, da Imprensa na cobertura do Parlamento e dos cidadãos que tiveram uma janela aberta para dentro do congresso nacional. Por isso incrementar audiência das consignações da União exige a manutenção no arcabouço legal de quais são essas emissoras e qual a finalidade delas. (Repórter) O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, lembrou que a legislação vigente sobre telecomunicações foi instituída em 1962 e, por isso, precisa ser atualizada. (Marcos Pontes) Como é que a gente vai fazer esse tipo de atualização constante? Bom, é olhar e sistemas, olhar o que a gente tem, conversar com as pessoas, conversar com aqueles que estão lá na ponta operando no dia a dia, porque eles conhecem as dificuldades e o que poderia melhorar. Por isso que o fórum como este é uma importância gigantesca, pra gente falar sobre tecnologia sobre as melhorias que a gente pode ter nesse sistema, quais são os essas legislações que podem ser melhoradas e tudo isso necessita essa discussão. (Repórter) O Fórum contou ainda com as participações de representantes das emissoras de rádio e TV comerciais, educativas, comunitárias e consignárias da União.

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações promoveu, nesta quinta (5), o II Fórum Nacional de Radiodifusão para debater o panorama atual e identificar os principais desafios do setor. A diretora da Secretaria de Comunicação Social do Senado, Érica Ceolin, participou da mesa de debates sobre o papel das emissoras de Rádio e TV da União e as propostas para incrementar a audiência neste setor. As informações são da repórter Lara Kinue, da Rádio Senado.

TÓPICOS:
Ciência e Tecnologia  Comunicação  Congresso Nacional  Democracia  Imprensa  Institucional  Judiciário  Política  Radiodifusão  Tecnologia  Telecomunicações  Trabalho  Transparência  União 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo