Governo Bolsonaro

Weintraub terá que explicar ao Senado ataques ao STF

O plenário do Senado aprovou nesta segunda (25) a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub. A autora do requerimento, senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), disse que o ministro deve explicações pela afirmação de que “botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”. Rose considera que a fala, feita na reunião ministerial do dia 22 de abril, é uma ofensa tanto ao Poder Judiciário quanto ao Poder Legislativo. As informações com o repórter Maurício de Santi, da Rádio Senado.

25/05/2020, 21h49 - ATUALIZADO EM 25/05/2020, 21h53
Duração de áudio: 01:26
(Brasília - DF, 22/04/2020) - Reunião com Vice-Presidente da República, Ministros e Presidentes de Bancos.
Foto: Marcos Corrêa/PR
Foto: Foto: Marcos Corrêa/PR

Transcrição
LOC: O MINISTRO DA EDUCAÇÃO TERÁ QUE DAR EXPLICAÇÕES AO SENADO SOBRE A FALA NA REUNIÃO MINISTERIAL DO DIA 22 DE ABRIL. LOC: O REQUERIMENTO DE CONVOCAÇÃO APRESENTADO PELA SENADORA ROSE DE FREITAS, DO PODEMOS DO ESPÍRITO SANTO, FOI APROVADO NESTA SEGUNDA-FEIRA, COMO INFORMA O REPÓRTER MAURÍCIO DE SANTI: TÉC: O ministro Abraham Weintraub disse na reunião ministerial do dia 22 de abril que “botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”. Para a senadora Rose de Freitas, do Podemos do Espírito Santo, o ministro deve explicações ao Congresso Nacional. Ela considera que a fala é uma ofensa tanto ao Poder Judiciário quanto ao Poder Legislativo: (Rose de Freitas): Quem são os sem-vergonha? Quem são os safados? Quem são os corruptos? Tem que ter nome! trazer a depor nesta Casa, sobretudo àqueles que põem a sua cara, lançam a sua voz, sentenciam, anunciam as atitudes que pretenderiam tomar se fossem ele, para que a gente possa pelo menos responder à sociedade brasileira, sob pena de amanhã não sermos nem respeitados. (REP): A ampla maioria dos senadores apoiou a convocação do ministro. Até mesmo o líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho, do MDB de Pernambuco, já esperava uma forte reação do Senado: (Fernando Bezerra): as frases ditas pelo Ministro da Educação cruzam uma linha que todos nós temos que guarnecer: a linha do respeito às instituições, aos Poderes da República. Mesmo numa reunião privada não se pode utilizar das expressões e da forma agressiva que foram utilizadas. (REP): A data do depoimento do ministro da Educação ao Senado ainda será definida. Da Rádio Senado, Maurício de Santi.

Ao vivo
00:0000:00