Investigação

Prorrogado funcionamento da subcomissão que investiga eventual irregularidades em Itaipu

01:29Prorrogado funcionamento da subcomissão que investiga eventual irregularidades em Itaipu

Transcrição LOC: A SUBCOMISSÃO QUE INVESTIGA EVENTUAL TENTATIVA DE FAVORECIMENTO À EMPRESA ENERGÉTICA LEROS TEM MAIS 60 DIAS PARA CONCLUIR A INVESTIGAÇÃO. LOC: A PRORROGAÇÃO FOI PEDIDA PELO RELATOR, SENADOR JAQUES WAGNER, DO PT BAIANO. REPORTAGEM DE IARA FARIA BORGES. (Repórter) Com a prorrogação, os trabalhos vão até 20 de dezembro. Funcionando dentro da Comissão de Relações Exteriores, a CRE, a subcomissão temporária apura uma suposta tentativa de favorecimento ilegal, nas negociações da Usina de Itaipu, à Leros, empresa brasileira do setor energético. Segundo os senadores Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, e Jaques Wagner, do PT da Bahia, que pediram a criação da subcomissão, teria sido prometida à Leros a venda da energia excedente do Paraguai no mercado livre de energia do Brasil, “a preços e condições imbatíveis”. Relator da subcomissão, Jaques Wagner afirma que a negociação foi sigilosa e gerou uma crise no governo paraguaio, com a queda do ministro das Relações Exteriores daquele país, Luís Castiglione, e estremecimento das relações com o Brasil. Ao pedir a prorrogação ao presidente da CRE, senador Nelsinho Trad, do PSD sul-mato-grossense, Jaques Wagner disse que a subcomissão precisa de mais tempo para concluir as investigações. (Jaques Wagner) “No sentido de ampliar o prazo de 60 dias da subcomissão que Vossa Excelência preside para ver aquela questão de Itaipu barra Leros, porque ainda não tivemos tempo de concluir”. (Repórter) O congresso paraguaio instalou uma CPI para apurar o caso. A agenda da subcomissão inclui visitas ao Paraguai. Da Rádio Senado, Iara Farias Borges. REQ 67/2019 - CRE

A subcomissão temporária que investiga suposta tentativa de favorecimento à empresa energética Leros teve prazo de funcionamento prorrogado por mais 60 dias – até 20 de dezembro. Segundo os senadores Jaques Wagner (PT-BA)  e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que pediram a instalação da subcomissão, teria sido prometida à Leros a venda da energia excedente do Paraguai no mercado livre de energia do Brasil, “a preços e condições imbatíveis”, o que gerou crise no governo paraguaio e nas relações com o Brasil. A subcomissão é presidida pelo senador Nelsinho Trad (PSD-MS), que é o presidente da Comissão de Relações Exteriores (CRE). Reportagem de Iara Farias Borges.

TÓPICOS:
Amapá  Bahia  Comissão de Relações Exteriores  CPI  CRE  Energia  Paraguai  PSD  PT  Rede  Rede Sustentabilidade  Relações Exteriores  Senador Jaques Wagner  Senador Nelsinho Trad  Senador Randolfe Rodrigues  Sustentabilidade 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo