Privatização

Proposta do Governo de privatização da Eletrobrás não deve passar no Senado

01:59Proposta do Governo de privatização da Eletrobrás não deve passar no Senado

Transcrição LOC: O MODELO DO GOVERNO DE PRIVATIZAÇÃO DA ELETROBRÁS NÃO TERÁ APOIO DO SENADO, GARANTIU O PRESIDENTE DAVI ALCOLUMBRE. LOC: ELE DEFENDE QUE A PROPOSTA SEJA ALTERADA PARA ATENDER ÀS REGIÕES NORTE E NORDESTE. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA. (Repórter) O modelo de privatização da Eletrobrás apresentado pelo Governo não terá apoio dos senadores, acredita o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, do Democratas do Amapá. A proposta do Executivo é capitalizar a estatal através da emissão de novas ações, com o objetivo de tornar minoritária a participação do governo. Segundo o presidente Jair Bolsonaro, o sistema elétrico brasileiro irá colapsar sem a privatização. A Eletrobrás é responsável por um terço da capacidade de geração de energia no Brasil e metade das linhas de transmissão. A estimativa do Executivo é arrecadar 16 bilhões de reais com a venda. Ma s, para Alcolumbre, o número é muito inferior ao valor de mercado da estatal. (Davi Alcolumbre) É uma empresa que pela contabilidade dos especialistas vale mais de 100 bilhões. Então não dá para perder o poder acionário de majoritário de uma empresa importante é um setor estratégico do Brasil. Não dá para perder 5 vezes o valor do que ela vale. (Repórter) Para ser aprovado, o projeto de lei assinado pelo Executivo precisa do voto de mais da metade dos 81 senadores. Mas a Frente Parlamentar do Norte e Nordeste, que tem 48 parlamentares, já se posicionou contrária à iniciativa. Segundo Alcolumbre, além de reformular o texto, será preciso diálogo para fazer a proposta avançar. (Davi Alcolumbre) Se mudar a modelagem e conseguir dentro do convencimento, porque a gente sabe também que é importante fazer isso pela condição que vive a empresa hoje, talvez tenha o apoio dos senadores do Norte e do Nordeste. (Repórter) A proposta do Executivo foi enviada ao Congresso no fim de novembro, mas aguarda despacho da Câmara dos Deputados para começar a tramitar. Além de determinar que a União fique com menos de 50% das ações da Eletrobrás, o projeto também acaba com as ações especiais com poder de veto, as chamadas golden share.

O Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, acredita que o texto de privatização da Eletrobrás apresentado pelo Governo não terá apoio dos senadores. A Frente Parlamentar dos senadores do Norte e Nordeste, que conta com 48 membros, já se posicionou de forma contrária à proposta, que precisa do apoio de mais da metade dos senadores para ser aprovada. Para Alcolumbre, o projeto precisa ser reformulado para avançar. A reportagem é de Marcella Cunha

TÓPICOS:
Amapá  Bolsonaro  Câmara dos Deputados  Davi Alcolumbre  Energia  Privatização  Senador Davi Alcolumbre  União 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo