Reforma da Previdência

Oposição descarta votar Reforma da Previdência em 2017, mas governistas apostam em 308 votos na Câmara

O presidente Michel Temer vai tentar votar, ainda neste ano, o primeiro turno da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. Para que as mudanças nas regras de aposentadoria sejam aprovadas, são necessários, no mínimo, 308 votos. O líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), acredita que em duas semanas Temer conseguirá os votos necessários, mas a oposição considera que nem os próprios aliados votarão a favor da reforma nos próximos dias ou em 2018, ano de eleições.

08/12/2017, 17h11 - ATUALIZADO EM 11/12/2017, 15h24
Duração de áudio: 01:57
Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa extraordinária. Ordem do dia. 

Mesa:
secretário-geral da Mesa, Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho; 
presidente do Senado Federal, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), conduz sessão.

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Foto: Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Transcrição
LOC: O GOVERNO AINDA VAI TENTAR VOTAR NESTE ANO O PRIMEIRO TURNO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS. LOC: MAS OS SENADORES DA OPOSIÇÃO CONSIDERAM QUE NEM OS PRÓPRIOS ALIADOS VOTARÃO NESTE OU NO ANO QUE VEM AS MUDANÇAS NAS REGRAS DE APOSENTADORIA. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN. TÉC: Na tentativa de assinalar para o mercado que o governo continua com a política de corte de gastos, o presidente Michel Temer passará os próximos dias articulando a votação em primeiro turno da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. Para que as mudanças nas regras de aposentadoria sejam aprovadas, são necessários, no mínimo, 308 votos. Mas o Palácio do Planalto contabiliza entre 280 e 300 apoiadores. A oposição, no entanto, considera como certa a não votação da Reforma da Previdência nos próximos dias ou em 2018, ano de eleições. A senadora Angela Portela, do PDT de Roraima, argumentou que Michel Temer não tem mais o que negociar com os deputados depois de ter ser livrado do pedido de impeachment. Ela citou ainda que apenas o PMDB fechou questão em favor da Reforma, ou seja, decidiu punir os deputados que não votarem pelas mudanças nas regras da aposentadoria. (Angela) Então, o governo fracassou na tentativa de aprovar a Reforma da Previdência ainda neste ano. O que é muito bom para todos nós da oposição. Isso mostra que os partidos da base estão percebendo também a alta rejeição que esta Reforma tem no seio da sociedade. REP: O líder do governo, senador Romero Jucá, do PMDB de Roraima, acredita que em duas semanas Temer conseguirá os 308 votos na Câmara para aprovar neste ano a Reforma da Previdência. (Jucá) Eu acredito que sim. O governo está atuando. Tem melhorado muito o ambiente na Câmara. A imprensa também está defendendo a Reforma da Previdência porque está entendendo como deve ser feito. Acho que é um processo que está em andamento, mas de forma muito positiva. REP: Entre as mudanças, está a idade mínima de 62 anos, no caso das mulheres, e de 65, no caso dos homens, para se aposentarem após 25 anos de contribuição. Da Rádio Senado, Hérica Christian.

Ao vivo
00:0000:00