Votações

No retorno das atividades presenciais, Senado vota indicações de autoridades

Após seis meses de votações remotas, os senadores voltam a Brasília para uma semana de esforço concentrado. Na pauta, estão sabatinas de autoridades a serem realizadas pelas Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Relações Exteriores (CRE). Para minimizar os riscos de contaminação pelo novo coronavírus, haverá limitação de entrada de parlamentares no Plenário e a instalação de totens de votação em vários pontos. O presidente da CRE, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), afirmou que os 32 embaixadores serão sabatinados em três grupos e que os nomes dos indicados para os Estados Unidos e Líbano vão direto para o Plenário.  Na sexta-feira, está prevista uma sessão para discutir o Brasil no pós-pandemia com a presença de especialistas. As informações são da repórter Hérica Christian.

18/09/2020, 18h39 - ATUALIZADO EM 18/09/2020, 18h45
Duração de áudio: 02:26
Senado Federal instala totens de votação secreta no corredor das comissões, no Salão Azul, e na portaria da garagem do Senado, para que os senadores possam votar de dentro dos carros (sistema drive thru) durante o funcionamento semipresencial da Casa entre os dias 21 e 24 de setembro.

Os parlamentares devem se reunir para sabatinar e votar a indicação de autoridades em duas comissões e no Plenário. No dia 25, uma sessão de debates temáticos vai discutir os desafios do país após a pandemia de coronavírus.

Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado
Foto: Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Transcrição
LOC: SENADORES ESTARÃO EM BRASÍLIA DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA PARA A SABATINA DE TRINTA E SEIS AUTORIDADES E SESSÃO DE DEBATE SOBRE O PÓS-PANDEMIA. LOC: PARA MINIMIZAR OS RISCOS DO NOVO CORONAVÍRUS, FOI LIMITADA A ENTRADA NO PLENÁRIO E INSTALADOS TOTENS DE VOTAÇÕES EM VÁRIOS LOCAIS DO SENADO. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN TÉC: Após seis meses de sessões remotas, os senadores voltam a Brasília para votações presenciais. O esforço concentrado de segunda a quinta-feira prevê reuniões das Comissões de Constituição e Justiça e de Relações Exteriores para sabatina de autoridades, que serão submetidas ao Plenário a partir de terça até quinta-feira. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, do Democratas do Amapá, explicou que a votação secreta só pode ser feita presencialmente. Para evitar contaminações, será limitada a entrada de senadores e assessores no Plenário respeitando o distanciamento social. Os parlamentares do grupo de risco vão acompanhar a sabatina dos gabinetes e na hora da votação presencial vão usar os totens instalados em diversos locais do Senado. Segundo Alcolumbre, serão sabatinados 32 embaixadores, de países como Argentina, Israel e Dinamarca, três ministros do Superior Tribunal Militar e a corregedora do Conselho Nacional de Justiça. (Davi) Foi uma decisão que a gente tomou com muita tranquilidade. A gente está vivendo o dia a dia o que está acontecendo no Brasil e, naturalmente, o que está acontecendo aqui em Brasília. E a gente conseguiu construir um entendimento no sentido de fazermos um esforço concentrado para a deliberação das autoridades que estão aqui há algum tempo. Nós temos hoje 33 embaixadores que estão aguardando, além de votarmos também os três ministros do Superior Tribunal Militar. REP: O presidente da Comissão de Relações Exteriores, senador Nelsinho Trad, do PSD de Mato Grosso do Sul, afirmou que os embaixadores falarão por até dez minutos remotamente. Em seguida, serão sabatinados em três grupos os nomes votados. Na condição de médico e de quem já teve o coronavírus, Nelsinho Trad reforçou as medidas de segurança. (Trad) Já fomos alertados de pequenas situações que podem ocorrer. Os senadores já têm à disposição cinco pontos de votação, dois em sistema drive-thru porque há senadores do grupo de risco, que têm, além da idade avançada, questão de diabetes e de hipertensão. E eu como médico atendendo também às recomendações sanitárias, estamos organizando para que toda a segurança de saúde passa a ser dada para aquele que venha participar. REP: Os indicados para as embaixadas do Líbano e dos Estados Unidos já foram sabatinados e devem ser levados diretamente para o Plenário. Já na sexta-feira, está prevista uma sessão especial para discutir os desafios econômicos, sociais e ambientais do Brasil para o período pós-pandemia. Da Rádio Senado, Hérica Christian.

Ao vivo
00:0000:00