Projeto

Motoristas de vans e ônibus podem ser obrigados a fazer exames toxicológicos

01:33Motoristas de vans e ônibus podem ser obrigados a fazer exames toxicológicos

Transcrição LOC: OS MOTORISTAS DE VANS E ÔNIBUS URBANOS PODEM SER INCLUÍDOS NA CHAMADA LEI DO MOTORISTA E OBRIGADOS A FAZER EXAMES TOXICOLÓGICOS. LOC: O PROJETO NA PAUTA DA COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS BUSCA GARANTIR OS DIREITOS E DAR MAIS SEGURANÇA AOS PROFISSIONAIS E PASSAGEIROS. MAIS DETALHES COM O REPÓRTER GEORGE CARDIM. (Repórter) A proposta do senador Acir Gurgacz, do PDT de Rondônia, inclui os motoristas de transporte coletivo urbano, como vans e ônibus, na chamada Lei do Motorista. Entre outros pontos, a legislação estabelece uma jornada de trabalho diária de oito horas, que podem ser prorrogadas por até quatro horas extraordinárias. Com a mudança, o profissional também deve contar com seguro de vida e de invalidez, além de se submeter a exames toxicológicos na admissão e na demissão e a programas de controle de uso de droga e de bebida alcoólica, criados e custeados pelo empregador. O relator, senador Otto Alencar, do PSD da Bahia, explicou que o projeto busca assegurar os direitos e dar mais segurança aos motoristas e aos passageiros. (Otto Alencar) “Para normatizar e dar as condições iguais aos motoristas intermunicipais, interestaduais e também de transporte público, que, na minha opinião, talvez sofram as maiores tensões nos centros urbanos, dirigindo ônibus e outros tipos de transporte urbano. Ele, de alguma forma, procura melhorar as condições daqueles que estão nos grandes centros, dirigindo e sofrendo as dificuldades e as tensões todas que acontecem” (Repórter) Se aprovado na Comissão de Assuntos Sociais, o projeto segue direto para a Câmara dos Deputados.

A proposta (PLS 498/2017) em análise na Comissão de Assuntos Sociais inclui os motoristas de transporte coletivo urbano, como vans e ônibus, na chamada Lei do Motorista. Entre outros pontos, a legislação estabelece uma jornada de trabalho diária de oito horas prorrogáveis por mais quatro. Com a mudança, o profissional contará com seguro de vida e de invalidez, além de se submeter a exames toxicológicos e a programas de controle de uso de droga e de bebida alcoólica. O relator, senador Otto Alencar (PSD-BA), explicou que o projeto busca assegurar os direitos e mais segurança aos motoristas e aos passageiros

TÓPICOS:
Bahia  Bebida alcoólica  Câmara dos Deputados  Comissão de Assuntos Sociais  Lei do Motorista  motorista  motorista de ônibus  motorista de van  PDT  PSD  Rondônia  Segurança  Senador Acir Gurgacz  Senador Otto Alencar  Trabalho  Transporte Público 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo