Rodovias

Ministro dos Transportes diz que manutenção da BR-364 começará após temporada de chuva

A situação da BR-364 foi discutida em audiência pública na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) com o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro Silveira. A rodovia, atravessa o estado de Rondônia e, segundo o presidente da CI, senador Eduardo Braga (PMDB – AM) é fundamental para escoar a produção. O ministro afirmou que a manutenção da rodovia já está contratada e as obras devem começar tão logo passe a estação de chuvas. Para agilizar as obras de duplicação, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), autor do requerimento para a realização da audiência, defendeu o uso de recursos de emendas parlamentares, em vez de contar com as concessionárias da rodovia.

17/04/2018, 13h55 - ATUALIZADO EM 17/04/2018, 14h39
Duração de áudio: 02:26
Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) realiza audiência pública interativa com a presença do ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro Silveira, para debater condições da BR-364, em Rondônia.

Em pronunciamento, ministro de Estado dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro Silveira.

Foto: Pedro França/Agência Senado
Foto: Pedro França/Agência Senado

Transcrição
LOC: O MINISTRO DOS TRANSPORTES DISSE QUE A RECUPERAÇÃO DA BR-364, EM RONDÔNIA, ESTÁ CONTRATADA E COMEÇA APÓS A TEMPORADA DE CHUVAS. LOC: DURANTE AUDIÊNCIA PÚBLICA NA COMSSÃO DE INFRAESTRUTURA, VALTER CASIMIRO SILVEIRA AINDA AFIRMOU QUE A DUPLICAÇÃO DA RODOVIA DEPENDE DE APROVAÇÃO DE PROJETOS. A REPORTAGEM É DE IARA FARIAS BORGES: (Repórter) Ao reconhecer a importância da BR-364, o ministro dos Transportes, Valter Casimiro Silveira, disse que a rodovia, está em más condições, por causa das chuvas. (Valter Casimiro, 20”) “A gente sabe da importância que tem essa rodovia para o escoamento de grãos. Devido ao volume de chuvas ela está bem comprometida. Mas como está toda ela contratada, a previsão é de que, cessando o período de chuva, já se inicie com toda a força para que a gente possa fazer toda a recuperação da BR-364”. (Repórter) Ele ainda informou que a demora no início das obras de duplicação se deve à morosidade na aprovação dos projetos. O presidente da Comissão de Infraestrutura, senador Eduardo Braga, do PMDB do Amazonas, ressaltou que a BR-364 precisa estar em condições de escoar a produção. Para agilizar a duplicação, sugere que os técnicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social elaborem os projetos exigidos. (Eduardo Braga) “Se o BNDES é capaz de fazer no setor elétrico estudos até para a privatização da Eletrobrás, em tempo recorde que o governo apregoa, por que não seria capaz de fazer um estudo de viabilidade econômica para a duplicação daquela que, sem nenhuma dúvida, é a espinha dorsal da interligação, da integração?” (Repórter) O senador Valdir Raupp, do PMDB de Rondônia, que pediu o debate, defendeu que as emendas parlamentares de 200 milhões de reais por ano poderão acelerar a duplicação da BR-364, sem a participação das concessionárias. (Valdir Raupp) “Duzentos milhões por ano, em dez anos, daria dois bilhões de reais, daria 660 Km de duplicação na BR 364. Por que nós vamos dar uma concessão para uma empresa, cobrar pedágio durante 10 anos e depois de 10 anos começar a duplicar um quilômetro de estrada? Não nos interessa”. (Repórter) Para o senador Acir Gurgacz, do PDT de Rondônia, é preciso exigir das concessionárias que a cobrança do pedágio só seja feita após a duplicação da rodovia. (Acir Gurgacz) “Nós não aceitamos a cobrança do pedágio sem uma parte da duplicação já realizada”. (Repórter) O Ministério dos Transportes tem um orçamento de dez bilhões e meio de reais para investimentos em outras malhas viárias, como ferrovias e hidrovias, e em portos e aeroportos.

Ao vivo
00:0000:00