Coronavírus

Mais dois senadores declaram que estão com a covid-19

Mais dois senadores foram infectados pelo novo coronavírus. A senadora Leila Barros (PSB-DF) teve febre, dores no corpo, de cabeça e indisposição; e o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) não apresentou sintomas. Desde o início da pandemia, vários senadores divulgaram resultado positivo para o novo coronavírus. Os senadores Marcos do Val (Podemos-ES), Carlos Fávaro (PSD-MT), e o próprio presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), estão entre eles. A reportagem é de Iara Farias Borges, da Rádio Senado.

ERRAMOS: matéria corrige versão de 14.07.20 às 13h56. 

16/07/2020, 11h35 - ATUALIZADO EM 16/07/2020, 11h40
Duração de áudio: 02:41
Foto: Stockphotos/direitos reservados

Transcrição
LOC: ESTA SEMANA, OS SENADORES SÉRGIO PETECÃO E LEILA BARROS ANUNCIARAM QUE ESTÃO COM A COVID-19. LOC: COM ELES, JÁ SOMAM DEZ OS SENADORES QUE DECLARARAM PUBLICAMENTE QUE FORAM INFECTADOS PELO NOVO CORONAVÍRUS. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. (Repórter) Infectados pelo novo coronavírus, a senadora Leila Barros, do PSB do Distrito Federal, teve febre, dores no corpo, de cabeça e indisposição; e o senador Sérgio Petecão, do PSD do Acre, não apresentou nenhum sintoma. Ambos estão cumprindo medidas médicas de isolamento em casa. Desde o início da pandemia, dez senadores declararam que foram infectados pelo novo coronavírus. Destes, oito tiveram covid-19 e dois não apresentaram sintomas. Logo no início, em março, foram afetados pelo vírus o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, do Democratas do Amapá, e o senador Nelsinho Trad, do PSD sul-mato-grossense, que viajou aos Estados Unidos com a comitiva do presidente Jair Bolsonaro. Nelsinho Trad relata o que sentiu. (Nelsinho Trad): “Comigo foi uma leve dor de cabeça, que não passava, dor no corpo, prostração e febre. Eu só médico e febre é um dos sinais mais evidentes de alerta do corpo da gente. Chamei o pessoal do serviço médico para poder fazer o teste. Fizeram, deu positivo, e eu, imediatamente, me isolei. E graças a Deus, o último exame derradeiro que eu fiz deu negativo”. (Repórter) Em março, também testou positivo o então senador Prisco Bezerra, do PDT cearense. Em maio, a senadora Mara Gabrilli, do PSDB de São Paulo, que é cadeirante, contraiu o vírus por meio de sua cuidadora. Nesse mês, também o senador Marcos do Val, do Podemos do Espírito Santo, foi contaminado pelo novo coronavírus. No início de junho, o senador Rogério Carvalho, do PT de Sergipe, foi diagnosticado com covid-19 e, segundo ele, apresentou sintomas sérios. Já o senador Jayme Campos, do Democratas de Mato Grosso, testou positivo, não apresentou nenhum sintoma de covid-19 e noutro teste resultou negativo. Também em junho o senador Carlos Fávaro, do PSD de Mato Grosso, teve covid-19 e chegou a ficar internado por dez dias. Para evitar o contágio nas dependências do Senado, desde março, os senadores votam as matérias pelo Sistema de Deliberação Remota e foi adotado o teletrabalho. Além disso, desde o início de julho há rigoroso controle da entrada no Senado: É preciso informar em formulário se apresenta sintomas de covid-19, a temperatura é medida na portaria e quem trabalha presencialmente, em ambientes com muitas pessoas, é submetido à testagem de covid-19 a cada duas semanas.

Ao vivo
00:0000:00