Integrantes da CPI querem ouvir novamente Marconi Perillo

Integrantes da CPI querem ouvir novamente Marconi Perillo

LOC: OS INTEGRANTES DA CPI MISTA DO CACHOEIRA QUEREM OUVIR NOVAMENTE O GOVERNADOR DE GOIÁS SOBRE O ENVOLVIMENTO DELE COM O CONTRAVENTOR.

LOC: A BANCADA DO PSDB, PARTIDO DE MARCONI PERILLO, NÃO VAI IMPEDIR A COVOCAÇÃO DO TUCANO. A REPORTAGEM É DE HÉRICA CHRISTIAN.

(REPÓRTER) Segundo a Polícia Federal, o contraventor Carlos Ramos teria negociado com o governador de Goiás, Marconi Perillo, a liberação de pagamentos para a empresa Delta mediante alguns compromissos. Entre eles estava a quitação dos cheques usados na venda de uma casa em Goiânia de propriedade de Perillo. Em depoimento em junho à CPI, o governador de Goiás confirmou o recebimento de três cheques de empresas que ele desconhecia, mas, que segundo a Polícia Federal, eram laranjas de Cachoeira, que também é suspeito de ser sócio oculto da Delta e o real comprador da mansão de Perillo. Diante dessas denúncias, os senadores Pedro Taques do PDT de Mato Grosso e Randolfe Rodrigues do PSOL do Amapá já têm prontos requerimentos para que o governador de Goiás explique as novas acusações. O senador Jorge Viana do PT do Acre avalia que Perillo deve voltar à CPI.

(Jorge Viana) O governador teve a oportunidade de vir e esclarecer. O problema que além de ele não esclarecer, o que ele falou não tem validade tendo em vista uma reportagem com substância e com provas que a revista Época traz agora. Acho que esse é o caminho natural, o governador voltar porque é mais do que grave a informação nova. De fato, houve uma triangulação do dinheiro da empresa Delta, que tinha contrato com o estado de Goiás, com o Sr. Carlinhos Cachoeira e com o governador. 

(REPÓRTER) O senador Alvaro Dias do PSDB do Paraná disse que o partido espera explicações do governador. Apesar de antecipar que a bancada não vai impedir a convocação de Perillo, Alvaro Dias não considera necessária a reconvocação do governador, já que ele deverá aparecer na lista de indiciados pela Comissão no relatório final.

(Alvaro Dias) Não nos colocaremos contrários à vinda do governador à CPI. Mas a indagação é para quê? Para repetir perguntas e ouvir a repetição de respostas. Se o próprio relator já tem posição firmada e o vice-presidente da Comissão da mesma forma, se há um relatório já idealizado por eles, para que continuar ocupando o tempo da CPI e poupando pessoas, os que estão na linha de frente desse esquema de corrupção.

(REPÓRTER) A convocação do governador de Goiás só será discutida na primeira semana de agosto, já que as sessões públicas da Comissão estão suspensas devido ao recesso parlamentar.

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11