Especialistas e senadores debatem Plano Nacional de Acesso ao Ensino técnico

LOC: A AMPLIAÇÃO DO ENSINO PROFISSIONALIZANTE NO BRASIL É FUNDAMENTAL PARA QUE O PAÍS POSSA CRESCER. FOI O QUE AFIRMARAM REPRESENTANTES DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, DA CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA E DA CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO.

LOC: ELES PARTICIPARAM DE AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE O PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO, O PRONATEC, QUE SERÁ LANÇADO NO MÊS QUE VEM COMO UMA DAS PRIORIDADES DO GOVERNO DILMA.

TÉC: O Pronatec, Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico, que será lançado em maio pela presidente Dilma Roussef, prevê a expansão da rede pública de ensino profissionalizante federal e parcerias com a rede privada. O programa será voltado para jovens do ensino médio e trabalhadores sem formação profissional. Durante debate na Subcomissão em Defesa do Emprego e da Previdência Social do Senado, os participantes concordaram que ampliar o acesso ao ensino técnico é a chave para que o Brasil acompanhe a demanda por mão de obra qualificada e cresça economicamente. Eles elogiaram o trabalho dos 38 institutos federais de educação tecnológica implantados em todos os estados do País, que oferecem formação profissionalizante até a pós-graduação. Eliezér Pacheco, secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, informou que o governo federal está investindo 1 bilhão e 600 milhões de reais para a construção e reforma de redes estaduais de ensino técnico, buscando integrar os governos estaduais e federal com as entidades do chamado sistema S - Sesi, Senai, Senac e Sesc, entre outras. (ELIESER) Quero mostrar minha satisfação do fato desse assunto estar na pauta do país, porque é uma questão fundamental para soberania. Sem tecnologia, sem técnicos qualificados, nós seremos sempre um país dependente das grandes potências internacionais. (REP) A senadora Ana Amélia, do PP do Rio Grande do Sul, falou do receio de um apagão de mão de obra no Brasil. Por isso, a necessidade urgente de estimulo à profissionalização. (ANA AMELIA) De cada dez discursos da tribuna do Senado pelo menos sete falam sobre a questão do apagão de mão de obra, e a base da mão de obra está no ensino profissionalizante. O Brasil mudou o mapa da mão de obra em função do crescimento econômico e claro agora a necessidade de um esforço muito grande. (REP)A Subcomissão Permanente em Defesa do Emprego e Previdência Social é subordinada à Comissão de Assuntos Sociais do Senado e presidida pelo senador Paulo Paim, do PT gaúcho.
26/04/2011, 01h04 - ATUALIZADO EM 26/04/2011, 01h04
Duração de áudio: 02:10
Ao vivo
00:0000:00