Audiência pública

Especialistas defendem mais investimentos e diversificação dos modais de transporte de cargas

A Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) realizou uma audiência pública para debater a situação logística do País. Autor do pedido, o senador Lasier Martins (PSD-RS) lembrou que a recente greve dos caminhoneiros evidenciou a falta de alternativas e a dependência do transporte rodoviário. Os especialistas defenderam mais investimentos em setores como movimentação de cargas por meio de ferrovias. Com supervisão de Celso Cavalcanti, da Rádio Senado, Marciana Alves.

26/06/2018, 19h21 - ATUALIZADO EM 26/06/2018, 19h29
Duração de áudio: 02:15
Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) realiza audiência pública interativa para debater o sistema logístico brasileiro, com o objetivo de conhecer os programas, ações e investimentos realizados no sentido de diversificar os modais de transporte no país. 

Mesa: 
gerente jurídico da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários, Regis Anderson Dudena; 
diretor do Departamento de Infraestrutura de Logística do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Otto Luiz Burlier da Silveira Filho; 
vice-presidente da CI, senador Acir Gurgacz (PDT-RO); 
senador Garibaldi Alves Filho (MDB-RN);
diretor do Departamento de Gestão Estratégica e Informação do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Rodrigo Otávio Moreira da Cruz; 
diretor de Estudos e Politicas Setorias de Inovação e Infraestrutura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Fabiano Mezadre Pompermayer.

Foto: Roque de Sá/Agência Senado
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Transcrição
LOC: ESPECIALISTAS DEFENDERAM, NA COMISSÃO DE INFRAESTRUTURA DO SENADO, MAIS INVESTIMENTOS E A DIVERSIFICAÇÃO DOS MODAIS DE TRANSPORTE DE CARGAS BRASILEIROS. LOC: A IDEIA É REDUZIR A DEPENDÊNCIA DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO. REPÓRTER MARCIANA ALVES. (Repórter) No Brasil, cerca de 65% do transporte de cargas é feito por rodovias, realidade que preocupa o senador Lasier Martins, do PSD gaúcho. Segundo ele, a greve dos caminhoneiros, que ocorreu no fim de maio, evidenciou a falta de alternativas logísticas no País. (Lasier Martins) Nós somos um País que dependemos rigorosamente de rodovias e de petróleo, e esse evento da greve dos caminhoneiros foi uma advertência tremenda, no sentido de que de uma vez por todas se pense nisso e se tome providências. (Repórter) O diretor do Departamento de Infraestrutura de Logística do Ministério do Planejamento, Otto Luiz Burlier, destacou o Plano Nacional de Logística como uma iniciativa do governo, que tem o objetivo de identificar problemas e aumentar a eficiência dos modais de movimentação de cargas no Brasil. Segundo ele, o programa ajuda a priorizar os investimentos no setor: (Otto Luiz Burlier) Em qual rodovia a gente tem que fazer investimento de pavimentação ou duplicação. Qual hidrovia? Qual dragagem em porto, quais os portos mais prioritários. Então isso acaba nos ajudando na priorização dos investimentos e na previsibilidade do mercado. (Repórter) Durante o debate na Comissão de Infraestrutura, o gerente jurídico da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários, Regis Anderson Dudena, defendeu que a prorrogação dos contratos de cinco concessionárias vai render investimentos de cerca de 25 bilhões de reais da iniciativa privada, além de ampliar a capacidade do setor ferroviário. (Regis Anderson) O que vai ser feito com esses R$25 bilhões? Nós temos ampliação de capacidade como primeira tarefa, então, nós temos investimentos em via, em pátio, em tecnologia, engenharia e duplicação. Nós temos ainda a construção de novos trechos e ramais, que tornem ainda mais produtivas as ferrovias. (Repórter) O Ministério dos Transportes estima que a partir de 2025, com as renovações de contratos de concessões e conclusão de obras, a participação do modal ferroviário suba 30%.

Ao vivo
00:0000:00