Ministério Pùblico

Em reunião com líderes, indicado à PGR assegura independência em relação a Bolsonaro

O indicado para a Procuradoria-Geral da República, Augusto Aras, fez uma exposição para os líderes partidários. Randolfe Rodrigues (Rede-AP) defendeu a rejeição do nome do subprocurador ao acusá-lo de “interventor” por não ter sido escolhido da lista tríplice dos procuradores. Já o senador Major Olimpio (PSL-SP) afirmou que Aras impressionou os parlamentares ao negar alinhamento ideológico com Bolsonaro. As informações são da repórter Hérica Christian.

10/09/2019, 22h04 - ATUALIZADO EM 11/09/2019, 10h37
Duração de áudio: 02:04
Em destaque, subprocurador-geral Augusto Aras, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ser o novo chefe da Procuradoria Geral República (PGR). 

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
Foto: Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Transcrição
LOC: EM REUNIÃO DE LÍDERES, INDICADO À PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA ASSEGURA INDEPENDÊNCIA EM RELAÇÃO A BOLSONARO. LOC: MAS CONTRÁRIOS AO NOME PARA O COMANDO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CRITICAM ESCOLHA FORA DA LISTA TRÍPLICE. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN TÉC: Desde o anúncio de sua indicação para o cargo de procurador-geral da República, o subprocurador Augusto Aras tem buscado apoio dos senadores. Ele participou nessa terça-feira da reunião de líderes para comentar os seus planos à frente do Ministério Público Federal. (Aras) As conversas têm sido muito proveitosas. Mas nesse momento eu estou com as minhas ideias, as minhas posições sendo observadas e decididas e apreciados pelo Senado Federal. Aqui eu me encontro à espera da sabatina e estarei sendo julgado pelo Senado Federal. REP: Mas a indicação de Augusto Aras enfrenta resistências. Pela primeira vez em 16 anos, a lista tríplice da categoria foi ignorada. Para o senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, o Senado deve rejeitar o nome escolhido pelo presidente da República. (Randolfe) Pela primeira vez, me parece que o Ministério Público Federal, que tem sido o guardião dos Direitos difusos e coletivos, do combate à corrupção neste País, está tendo a nomeação de um interventor, que é alheio à realidade do Ministério Público. Para mim, claramente o interventor indicado está ofendendo a autonomia do Ministério Público. REP: Mas o senador Major Olimpio, do PSL de São Paulo, negou qualquer alinhamento ideológico de Augusto Aras com o presidente Bolsonaro. (Major) Mesmo os senadores que não vão votar pela aprovação dele ficaram sensibilizados pela capacidade, pela postura dele. Não vi alinhamento dele com o presidente. Quem quer que o presidente indicasse iam dizer que ele tem alinhamento. Ao contrário, as manifestações que eu vi foram de pessoas se queixando porque ele não teria um alinhamento ideológico com o presidente. REP: Augusto Aras, que vai substituir Raquel Dodge, será submetido a uma sabatina na Comissão de Constituição e Justiça e terá o nome votado pelo Plenário. Da Rádio Senado, Hérica Christian

Ao vivo
00:0000:00