7 de setembro

Em formato reduzido, cerimônia da Independência reúne presidentes dos três Poderes

As comemorações do Dia da Independência em Brasília aconteceram de forma compacta, sem o tradicional desfiles na Esplanada dos Ministérios, devido à pandemia do coronavírus. A bandeira brasileira foi hasteada no Palácio da Alvorada e a Esquadrilha da Fumaça fez uma apresentação escrevendo Brasil no céu da Capital. A cerimônia desta segunda-feira (7) contou com a presença dos presidentes dos três Poderes. A reportagem é de Rodrigo Resende. 

07/09/2020, 11h49 - ATUALIZADO EM 07/09/2020, 11h59
Duração de áudio: 01:30
Presidente do Congresso, Davi Alcolumbre, participa de cerimônia do Dia da Independência.
Foto: Marcos Brandão / Senado Federal

Transcrição
A CERIMÔNIA QUE COMEMOROU OS 198 ANOS DO GRITO DA INDEPEDÊNCIA FOI FEITA DE FORMA COMPACTA DEVIDO AO CORONAVÍRUS. O EVENTO CONTOU COM A PRESENÇA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA JAIR BOLSONARO E DOS PRESIDENTES DO CONGRESSO, SENADOR DAVI ALCOLUMBRE, E DO STF, MINISTRO DIAS TOFFOLI. REPÓRTER RODRIGO RESENDE: Trecho do Hino da Independência – 20” - Já podeis, da Pátria filhos Ver contente a mãe gentil / Já raiou a liberdade / No horizonte do Brasil / Já raiou a liberdade / Já raiou a liberdade / No horizonte do Brasil (REP) Em 07 de setembro de 1822 o “Grito do Ipiranga”, dado por Dom Pedro I, decretou a independência brasileira de Portugal. A cada ano o “Independência ou Morte” é relembrado em desfiles e comemorações em todo o país. Mas em 2020, devido à pandemia do coronavírus, os eventos foram compactos. Em Brasília, não houve o tradicional desfile e a comemoração contou com hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada e apresentação da esquadrilha da fumaça. O evento contou com a participação dos presidentes dos três poderes: da República, Jair Bolsonaro, do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre, e do Supremo Tribunal Federal, Ministro Dias Toffoli, que deixa a presidência do STF no dia 10 de setembro quando dará lugar ao ministro Luiz Fux. Durante a cerimônia, a banda da guarda presidencial executou o hino nacional brasileiro, o hino da independência, que foi composto pelo próprio Dom Pedro I, a canção do expedicionário, em homenagem aos pracinhas brasileiros que lutaram na segunda guerra mundial e a canção “Eu te amo meu Brasil”, de Dom e Ravel, que fez sucesso nos anos 70 e é associada ao período da ditadura militar. Da Rádio Senado, Rodrigo Resende.

Ao vivo
00:0000:00