Comissão de Agricultura

Debatedores afirmam que agronegócio é sustentável e país é vítima de campanha difamatória internacional

02:46Debatedores afirmam que agronegócio é sustentável e país é vítima de campanha difamatória internacional

Transcrição LOC: A COMISSÃO DE AGRICULTURA PROMOVEU DEBATE SOBRE A IMAGEM NEGATIVA DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO EM RELAÇÃO À PRESERVAÇÃO AMBIENTAL. LOC: A PRESIDENTE DO COLEGIADO AFIRMOU QUE HÁ MOVIMENTOS INTERESSADOS EM PREJUDICAR O BRASIL NO COMÉRCIO INTERNACIONAL. A REPORTAGEM É DE MARCELA DINIZ. (Repórter) Os participantes do debate sobre meio ambiente e agronegócio, na Comissão de Agricultura, disseram que é preciso reverter o que chamaram de “campanha difamatória” que levou à construção de uma imagem negativa da produção rural brasileira com relação à preservação do meio ambiente. Para a presidente do colegiado, senadora Soraya Thronicke, do PSL de Mato Grosso do Sul, há interesses internacionais envolvidos nessa espécie de “guerra da informação” e que agem para que os produtos agrícolas brasileiros percam espaço no mercado: (Soraya Thronicke) O diplomata Norberto Moretti, secretário de política externa comercial do Itamaraty, afirmou que o Brasil está perdendo a guerra da informação para movimentos articulados internacionalmente, que teriam interesse comercial em prejudicar o agronegócio brasileiro. O secretário de Relações Internacionais do Ministério do Meio Ambiente, Roberto Castelo Branco, garantiu que o Brasil cumprirá todos os acordos internacionais relativos ao Meio Ambiente, como o de Paris, em que o país se compromete a reduzir suas emissões de carbono em 43% até 2030, aumentar o uso de energia limpa, reduzir o desmatamento, entre outras metas. Castelo Branco disse que há uma espécie de guerra ideológica entre percepção e realidade: (Roberto Castelo Branco) Temos agricultura de baixo carbono, com aumento de pastagens, integração lavoura-pecuária, recuperação de florestas, nós estamos muito bem. E ninguém pode apontar o dedo porque nós estamos cumprindo, inclusive para a agenda pré-2020, todos os compromissos internacionais, não nos podem acusar de nada. (Repórter) O representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, João Adrien, afirmou que o agronegócio brasileiro preserva a natureza. Ele defendeu uma regularização fundiária ao afirmar que a ilegalidade provoca a devastação da floresta, na Amazônia. (João Adrien) Hoje, mais ou menos em torno de 25% de toda a área preservada está sob propriedade privada. Nós preservamos mais do que as áreas indígenas, que são 13% do território. Ou seja, se tem alguma atividade, algum setor responsável pela sustentabilidade no país, se chama agronegócio. Se tem algo que é responsável pelo desmatamento, pela grilagem de terra, pela invasão de terra pública, é a ilegalidade que existe hoje na Amazônia. (Repórter) O secretário de Publicidade e Promoção da Presidência da República, Glen Valente, disse que o governo lançará uma campanha internacional para reverter a imagem negativa com relação ao agronegócio e à preservação do meio ambiente. A iniciativa se chama “Brazil by Brasil” e mostra o País como exemplo de sustentabilidade, com mais de 60% de vegetação nativa conservada.

Participantes de debate sobre meio ambiente e agronegócio, na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado (CRA), disseram que é preciso reverter o que chamaram de “campanha difamatória” que levou à construção de uma imagem negativa da produção rural brasileira com relação à preservação do meio ambiente. Para a presidente do colegiado, senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), há movimentos internacionais interessados em prejudicar o Brasil no comércio internacional. A reportagem é de Marcela Diniz, da Rádio Senado. Ouça o áudio com mais informações.

TÓPICOS:
Agronegócio  Amazônia  Comércio  Desmatamento  Energia  Indígenas  Itamaraty  Mato Grosso do Sul  Meio Ambiente  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento  Política  PSL  Regularização Fundiária  Senadora Soraya Thronicke  Comissão de Agricultura e Reforma Agrária  CRA  preservação ambiental  difamação 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo