Sabatina

CRE sabatina indicado para embaixada da Bósnia e Herzegovina

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado (CRE) sabatinou Lineu Pupo de Paula, indicado ao cargo de embaixador do Brasil na Bósnia e Herzegovina. A relação entre os dois países ainda é tímida. Senadores disseram que o trabalho no país do sudoeste europeu é um desafio pelos conflitos políticos que ainda existem. Ouça mais detalhes no áudio do repórter da Rádio Senado, José Odeveza.

10/09/2019, 12h42 - ATUALIZADO EM 10/09/2019, 23h12
Duração de áudio: 02:04
Comissão de Relações Exteriores (CRE) realiza sabatina de indicado para chefiar a embaixada brasileira na Bósnia e Herzegovina.

Em pronunciamento, à mesa, indicado para chefiar a embaixada brasileira na Bósnia e Herzegovina, Lineu Pupo de Paula.

Foto: Jane de Araújo/Agência Senado
Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

Transcrição
LOC: SENADO SABATINA NOVO EMBAIXADOR PARA A BÓSNIA E HERZEGOVINA. LOC: SENADORES DIZEM QUE PAÍS É UM DESAFIO NA CONSTRUÇÃO DE RELAÇÕES ECONÔMICAS. REPORTAGEM DE JOSÉ ODEVEZA. (Repórter) As relações entre o Brasil e a Bósnia e Herzegovina ainda são tímidas. Segundo o novo indicado para o cargo diplomático no país do sudoeste europeu, Lineu Pupo de Paula, a Bósnia é um desafio por ainda estar em construção econômica. (Lineu Pupo de Paula) Eu costumo dizer que a Bósnia, que eu entendo como um país em construção. A Bósnia tem grandes problemas e se somarmos esses problemas de economia fraca, alto grau de corrupção e esse problema étnico, a gente entende ver um país que está buscando a sua identidade ainda. E eu acho que o Brasil estando lá em Sarajevo pode ajudar a gente resolver esse problema e tentar influenciar positivamente. (Repórter) Em 2018, o Brasil exportou US$ 2,5 milhões em minérios, metais e máquinas para a Bósnia e importou US$ 722 mil em máquinas, ferramentas, papel, couro e têxteis. O senador Esperidião Amin, do Partido Progressista de Santa Catarina, disse que as baixas relações comerciais entre os dois países se dá pela instabilidade política enfrentada pela Bósnia. (Esperidião Amin) O nosso embaixador acaba de cumprir mais uma etapa da preparação para poder nos representar no controvertido país Bósnia Herzegovina, onde a dificuldade de convivência de coexistência são muito grandes também. (Repórter) Já o senador Chico Rodrigues, do Democratas de Roraima, disse que os conflitos políticos na Bósnia servem de aprendizado para que o Brasil não siga o mesmo caminho. (Chico Rodrigues) Serão realmente fundamentais para fazer o Brasil compreender mais essas idiossincrasias naturais que existem na Bósnia e Herzegovina, divulgadas no mundo inteiro. É um país que vive em conflito, é um conflito cultural é um conflito político ideológico e etc. (Repórter) Na próxima reunião, a Comissão de Relações Exteriores deve sabatinar nova indicada para embaixada da Guiana, antigo posto do embaixador Lineu Pupo de Paula. Sob supervisão de Maurício de Santi, da Radio Senado José Odeveza.

Ao vivo
00:0000:00