Relações Exteriores

CRE debate crise enfrentada pela administração Donald Trump

18/05/2017, 15h26 - ATUALIZADO EM 18/05/2017, 15h26
Duração de áudio: 02:12
Sala de comissões do Senado durante Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) realiza audiência pública interativa com o comandante da Aeronáutica para debater soberania nacional e projetos estratégicos da Força Aérea Brasileira (FAB). 

À mesa, presidente da CRE, senador Fernando Collor (PTC-AL).

Foto: Pedro França/Agência Senado
Foto: Pedro França/Agência Senado

Transcrição
LOC: A CRISE ENFRENTADA PELA ADMINISTRAÇÃO DONALD TRUMP NOS ESTADOS UNIDOS FOI COMENTADA DURANTE A REUNIÃO DA COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES DO SENADO NESTA QUINTA-FEIRA. LOC: TRUMP FOI ACUSADO DE INTERFERIR NAS INVESTIGAÇÕES DO FBI, A POLÍCIA FEDERAL DOS ESTADOS UNIDOS, E DE REPASSAR INFORMAÇÕES SECRETAS AO GOVERNO RUSSO. REPÓRTER FLORIANO FILHO. (Repórter) Com pouco mais de quatro meses de governo, o presidente Donald Trump já enfrenta uma crise que pode até mesmo levar a um pedido de impeachment. A situação já havia ficado delicada depois que Trump demitiu James Comey, diretor do FBI, a polícia federal dos Estados Unidos. Comey estava investigando as relações entre integrantes da campanha eleitoral do presidente americano e agentes do serviço de inteligência do governo russo. Agora, instituições do governo norteamericano estão examinando se Donald Trump cometeu obstrução de Justiça ao tentar influenciar o ex-diretor do FBI a desistir das investigações antes de demiti-lo. O presidente da Comissão de Relações Exteriores, senador Fernando Collor, do PTC de Alagoas, disse que a situação é delicada. (Collor) A demissão do Diretor do FBI James Comey e seus desdobramentos continuam a dominar a política norte-americana. Informações de que o Presidente Donald Trump teria pedido a Comey para dar um fim nas investigações federais sobre o ex-assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, Michael Flynn, deram margem a um eventual caso de obstrução da Justiça pelo Presidente.. (REP). O quadro ficou ainda mais grave depois que Trump teve um encontro com o chefe da diplomacia russa, Sergey Lavrov, e com o embaixador russo em Washington, Sergey Kislyak. Collor destacou que o jornal Washington Post afirmou que Trump teria repassado aos russos informações secretas sobre o Estado Islâmico. (Collor) O Congresso está investigando, ao mesmo tempo, o caso do FBI e a possível interferência russa nas eleições presidenciais de 2016. A palavra impeachment começa a ser pronunciada abertamente pelos especialistas políticos e pela imprensa norte-americana. (REP) Fernando Collor lembrou ainda que a média de aprovação de Donald Trump já estava abaixo dos 40% antes das denúncias serem publicadas. Da Rádio Senado, Floriano Filho.

Ao vivo
00:0000:00