Corpo de Dom Pedro Casaldáliga é enterrado em Mato Grosso

O enterro de Dom Pedro Casaldáliga aconteceu na manhã desta quarta-feira (12), à beira do Rio Araguaia, em São Félix do Araguaia, Mato Grosso. Foi Dom Pedro quem pediu para ser enterrado no Cemitério Karajá, como é chamada na região a área onde eram sepultados indígenas e trabalhadores sem terra que foram explorados e, muitas vezes, assassinados pelos grileiros de terras da região. A situação sempre mobilizou o religioso. Os detalhes com o repórter Pedro Pincer, da Rádio Senado.

12/08/2020, 14h12 - ATUALIZADO EM 12/08/2020, 19h08
Duração de áudio: 01:59
Foto: Divulgação

Transcrição
LOC: CORPO DE DOM PEDRO CASALDÁLIGA É ENTERRADO EM MATO GROSSO LOC: RELIGIOSO PEDIU PARA SER SEPULTADO EM CEMITÉRIO DE VÍTIMAS DA GRILAGEM DE TERRA. REPÓRTER PEDRO PINCER: (Repórter) O enterro aconteceu na manhã desta quarta-feira, no Cemitério Karajá à beira do Rio Araguaia, em São Félix do Araguaia, em Mato Grosso. Foi Dom Pedro quem pediu para ser enterrado no Cemitério Karajá, como é chamada na região a área onde eram sepultados indígenas e trabalhadores sem terra que foram explorados e, muitas vezes, assassinados pelos grileiros de terras da região. A situação sempre mobilizou o religioso, pela extrema pobreza e a violência a que eram submetidos pelos grandes fazendeiros, durante a ditadura militar, o que foi amplamente denunciado por Dom Pedro. O senador Wellington Fagundes, do PL de Mato Grosso, disse que o religioso é um ícone do estado e anunciou projetos para a criação, em homenagem a ele, de um parque municipal, de um local de preservação de animais silvestres e de uma área de preservação ambiental, com foco na regularização fundiária. Ele disse que a história de vida Dom Pedro tem que virar referência para as próximas gerações. (Wellington Fagundes) A orientação espiritual e filosófica de Dom Pedro restará um grande vazio, difícil de ser preenchido, porém seu amor, a sua luta e suas inspirações serão bússolas para o nosso caminhar daqui pra frente. (Repórter) O senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, lembrou a preocupação de Dom Pedro com os mais pobres (Randolfe Rodrigues) Foi ele que nos ensinou que o compromisso da Igreja do Cristo é com os mais pobres, é com os despossuídos. O céu está em festa, nós estamos mais tristes, mas aqueles que fazem da sua vida um sacerdócio para o próximo viverá eternamente. (Repórter) O bispo também foi um dos fundadores do Conselho Indigenista Missionário e da Comissão Pastoral da Terra. Além de sua atuação junto aos pobres e em defesa da democracia, Dom Pedro se destacou por suas poesias que abordam a urgência da reforma agrária e da luta contra o agronegócio.

Ao vivo
00:0000:00