Congresso vai destinar mais recursos para prevenção de desastres

02:54Congresso vai destinar mais recursos para prevenção de desastres

LOC: A TRAGÉDIA DA REGIÃO SERRANA DO RIO DE JANEIRO FARÁ COM QUE O CONGRESSO NACIONAL DESTINE MAIS RECURSOS PARA A PREVENÇÃO DE DESASTRES NATURAIS. 

LOC: O SENADOR ACIR GURGACZ LAMENTOU QUE O GOVERNO FEDERAL NÃO TENHA INVESTIDO ANTES NA COMPRA DE RADARES DESTINADOS A SALAS DE MONITORAMENTO PARA ALERTAR À POPULAÇÃO. 

Um investimento de 115 milhões de reais poderia ter evitado o crescente número de mortos na região serrana do Rio de Janeiro. Desde a tragédia de Santa Catarina em 2008, técnicos do governo federal trabalharam num sistema de monitoramento capaz de antecipar a ocorrência de enchentes. Segundo o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antônio Barreto de Castro, a ideia era instalar salas de monitoramento em todas as cidades. Cada central estadual receberia informações climáticas 24 horas por dia para emitir alertas para a Defesa Civil tomar providências, como a retirada da população de áreas de risco. Mas a equipe econômica vetou os investimentos. O grupo reapresentou a proposta a um custo de 36 milhões, que foi novamente rejeitada. O representante do Ministério de Ciência e Tecnologia declarou que se os radares tivessem sido comprados, o número de vítimas seria menor. Luiz Antonio Barreto lamentou ao afirmar que a tragédia agora deve tirar todo o sistema do papel. (Luiz) Acho que este investimento é extremamente pequeno pelo custo-benefício, que é inacreditável. Agora foi tão grave que eu acho que vamos conseguir fazer. Às vezes é assim a vida. Só quando chega a um número grande de pessoas que morrem que alguém diz que agora não dá para continuar. É duro admitir. Se 20 pessoas tivessem morrido, não sei se haveria essa mesma comoção. (REP) O senador Acir Gurgacz, do PDT de Rondônia, ponderou que a inexistência de um sistema de monitoramento provocou mais prejuízos para o próprio governo federal. Ele argumentou que no lugar de investir 115 milhões de reais nas chamadas salas de monitoramento, a União teve de repassar sete vezes mais esse valor para as cidades atingidas pelas chuvas com a medida provisória de 780 milhões. O senador avalia, no entanto, que o próprio Congresso Nacional estará atento ao destinar mais recursos para o monitoramento dos desastres naturais. (Acir): Todos nós vamos dar um tratamento diferente porque a tragédia foi muito grande. Em termos de Orçamento, esse trabalho preventivo é muito menor você trabalhar no preventivo do que socorrer as vítimas. Só em relação ao Ministério de Ciência e Tecnologia, R$ 780 milhões contra R$ 100 milhões do sistema de alerta. É evidente que jamais o Congresso vai faltar em dar o apoio a situações como essa. (REP) Acir Gurgacz alertou que a população precisa conviver com a ocorrência cada vez maior de chuvas fortes e de secas prolongadas em conseqüência das mudanças climáticas. Por isso, o foco dos investimentos, segundo ele, deverá ser em medidas de prevenção e monitoramento.

TÓPICOS:
Tecnologia  Ciência e Tecnologia  Trabalho  Defesa Civil  Rondônia  PDT  Medida Provisória  Desenvolvimento  Congresso Nacional  Rio de Janeiro  Cidades  Santa Catarina  Investimentos  Orçamento  União  Mudanças Climáticas  Senador Acir Gurgacz  Desastres naturais 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo